segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Ψ O Arquétipo da Criança Ferida

*O arquétipo da criança ferida sugere a experiência de algum tipo de ferida iniciática na história de vida pregressa.

*O ferimento inicial cria uma lacuna no indivíduo. A Sombra torna-se uma abertura para o sofrimento recorrente. 

*A criança ferida pode ter sido intimidada por irmãos ou colegas de escola. Ter perdido os pais ou um adulto de confiança por morte ou alguma outra separação, negligenciada ou abandonada. Ter sido gravemente ferida. Ter sofrido abuso sexual ou assédio emocional. Ou ter testemunhado um evento traumático. 

*A dor desta ferida sofrida na infância vai repetir-se na vida adulta até o trauma ser ressignificado ou curado, só assim a criança interior madura irá desenvolver os dons que são inerentes ao arquétipo criança ferida.
                                                                      Margaret Keane
*A criança ferida evoca sentimento de desespero, inutilidade e tristeza. Temas de rejeição, fracasso, indignidade e saudade são predominantes neste padrão arquetípico.

 *Padrões possiveis: profundo medo da mudança; sentindo-se mal compreendido;
não abrir mão da dor sofrida. Identificação com ferimentos ou doenças. Sentindo-se quebrado ou inútil. Sensibilidade e compaixão pelos outros. Propensos à depressão. Atraídos para dor, tragédia ou sofrimento.

*Se foi intimidado na escola ou na família, vai continuar a sentir-se intimidado como um adulto por colegas de trabalho, amigos. Inclusive criando situações que correspondam a estes padrões do passado. 

*As  reações a essa percepção irá coincidir com a maneira como lidou com o abuso ou assédio moral quando criança. Se foi abusado sexualmente pode perceber o seu cônjuge ou parceiro através da lente altamente distorcida do seu próprio abuso sexual. 

*A criança ferida vai reproduzir a dinâmica experimentada na infância com o parceiro como vítima. Se sofreu uma desvantagem como criança precisando de cuidados constantes vai recriar a dinâmica de inválido e zelador em um dos seus relacionamentos pessoais.

*Preste atenção ao "isso sempre acontece comigo".

*A sombra da criança ferida vai se vitimizar ou ferir outros na vida adulta.

*A Criança Ferida está sempre olhando para traz em uma melancolia dolorosa. 

*Ela assim refere: Se meus pais me amassem eu poderia ser um pai melhor. Se ao menos eu tivesse nascido saudável, eu não estaria deprimido. Se eu tivesse sido tratado com respeito eu não seria tão irritado. Se eu não fosse abandonado eu teria um relacionamento saudável. Se eu não tivesse estado naquele acidente de carro eu poderia prosseguir a vida que sonhei. Se a minha inocência não fosse violada eu poderia ter uma vida sexual saudável... 

*Há um profundo medo da mudança porque a criança ferida sabe que se curar as suas feridas sua vida vai mudar. Mudança é igual a perda. Perda é insuportável.

*Eles sentem que perderam algo profundo e intrínseco e temem deixar de lado uma antiga identidade, soltar seus filhos ou cônjuge, deixar de lado sua raiva e ressentimento, deixar a tristeza ou o papel de vítima...

*A Criança Ferida tende a levar as coisas pessoalmente também ao internalizar situações e relacionamentos, ao serem atraídos para o sofrimento e tragédias de outras pessoas.

*Isso pode acontecer através da autocomiseração, isolamento, raiva, estoicismo, carência, depressão, ressentimentos e vingança. 

*A criança Ferida tem uma intensa necessidade de ter o sofrimento validado.

*Sob essa necessidade compulsiva de validação há um desejo e esperança de cura. Assim criam uma história de vida que os mantém como vítimas, esperando que os outros tenham pena delas.

*Ela espera que alguém ou alguma coisa lá fora, vai ser a resposta para sua dor.

 *Uma das experiências mais comuns para a criança ferida é a depressão. 

*A depressão age como um amortecedor para a intensidade da dor, anulando-a e tornando-a mais suportável.

*A depressão em si torna-se entrelaçada no tecido da ferida até que ela torna-se um reforço de indignidade e falta de esperança.

*Na depressão sabe que algo está errado com ela, com os outros ou com o mundo e que não pode ser corrigido. 

*Isso configura o desespero que reforça e fortalece a história da ferida mantendo o indivíduo aprisionado.

*Eu quero ser amado é a história da criança ferida. Eu quero ser valorizado e importante. Quero que alguém se importe e eu seja digno.

*Querem doar-se aos outros, mas sentem-se impedidas, pois a ferida impede e ficam presas em um ciclo de miséria e empobrecimento emocional.

*Sobre o Perdão: O perdão é o que acontece quando você para de rejeitar o que acredita ser a causa de seu sofrimento. 

*Segundo Susana Barlow, "Perdoar significa abrir espaço para mais". Ou seja, quando estou implacável em rejeitar a coisa ruim que aconteceu eu não permito que ela seja uma parte de mim. 

*Perdão ou a necessidade de perdoar é um tema para a criança ferida. O perdão abre espaço para entender a dor e as perdas e assim acaba com a resistência. O perdão é um paradoxo, pois, deixando ir você também está abracando.

*Elas são como homens da montanha que conhecem um terreno particular e pode ser um guia para outras pessoas que estão de passagem.

*Mas esta montanha é o lugar onde a criança ferida vive e tem feito as pazes. 

*Sofrimento, dor, tristeza e depressão são lugares que a criança ferida foi e não tem medo de voltar. Aprendem que algumas feridas não são destinadas a serem curadas, mas serem compreendidas

*Após o Perdão Vem A Capacidade de Amar os Outros - Com o arquétipo constelado e ressignificado, observa-se que o amor incondicional fará parte da criança ferida esclarecida e ela estará cheia de carinho e compaixão pelos outros. Ela aprendeu que dar é  receber. Desenvolveu forte capacidade de entender os outros profundamente de coração aberto e sem julgamento. 

*Entender os outros é a chave para entender a si mesmas. A Criança Ferida resolvida tem um coração terno e aberto, cheio de ternura e compaixão. 

*A capacidade de chegar perto de dor dos outros, se preservando, torna-os grandes curandeiros, médicos, enfermeiros, terapeutas e outros nas artes da cura. Através do perdão emoções intensas são liberadas e por isso servem de canal para os outros liberarem sua dor. 

*Dar amor permite que a criança ferida sente e recebe o amor dos outros livre e incondicionalmente porque aprenderam a amar quem eles são o suficiente para compartilhar esse amor com os outros.

*Quando transformado a partir da sombra para a luz o arquétipo criança ferida é um poderoso exemplo da resiliência do espírito humano. 

*Sua experiência de vida lhes ensinou que a dor uma vez dominada, é a fonte de sua compaixão, profundidade e sabedoria.

Fonte: Susanna Barlow
Ψ Fátima Vieira - Psicóloga  Clinica 

Nenhum comentário: