segunda-feira, 30 de maio de 2016

"O Mal Estar da Civilização" - Freud


(...)


(...)


(...)


(...)


(...)


Brasil Diz Não Ao Golpe!

                                  Tarsila do Amaral - 'Segunda Classe' - 1933

"Não junto a minha voz à dos que, falando em paz, pedem aos oprimidos, aos esfarrapados do mundo, a sua resignação. Minha voz tem outra semântica, tem outra música. Falo da resistência, da indignação, da "justa ira" dos traídos e dos enganados. Do seu direito e do seu dever de rebelar-se contra as transgressões éticas de que são vítimas cada vez mais sofridas." - ("Pedagogia da Autonomia" -  Paulo Freire 1921/ 1997)

domingo, 22 de maio de 2016

Ψ Imaginação Ativa e Autocura

Como consultar o Oráculo Interior usando a Imaginação Ativa para processar a Autocura

 John Collier

*No oráculo de Delfos, dedicado a Apolo, as sacerdotisas em transe, receptivas e espontaneamente faziam profecias e curas. O  seu papel era simplesmente ser porta-voz do deus Apolo.
"Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo."  *Inscrição no oráculo de Delfos, atribuída aos Sete Sábios (c. 650 a.C.-550 a.C.)
*Carl Jung desenvolveu uma técnica que chamou de Imaginação Ativa que permite que qualquer pessoa possa consultar o seu próprio oráculo interior.

* Imaginação Ativa é um processo de dialogar conscientemente com nosso inconsciente, assim refere Jung:
"para a produção desses conteúdos do inconsciente que se encontram, por assim dizer, imediatamente abaixo do limiar da consciência e, quando se intensificam, são os mais propensos a entrar em erupção de forma espontânea para a mente consciente". 

*Ou seja, temos que permitir que o inconsciente fale através de nós, alternando os conteúdos conscientes e inconscientes de forma totalmente receptiva e espontânea.

*A visualização persistente provoca mais energia e aumenta a probabilidade de concretizar o seu desejo e requer:
1. Disposição: a técnica deverá ser sistematicamente seguida e assimilada (duas a três vezes ao dia).
2. Especificidade e Intenção: O seu objetivo precisa ser explícito, a imagem não pode ser ambígua, simplifique, pode desenhar ou criar um código próprio.
3. Visualização: Se o coração estiver harmonizado com o  espírito muita coisa será revelada. Visualizar é ver Imagens na nossa mente. Concentrar, pensar e sentir. O pensamento é a matriz ou o projeto, os sentimentos fornecem a energia, a eletricidade.
4. Pratique o desapego após o quadro estar completo em sua mente libere... Sussurre uma palavra de fechamento: Amém, Assim Seja, Está feito!

*Inicie o processo com Reverência - Tal como acontece com todos os sistemas oraculares.

*Aquiete-se... encontre um tempo e um lugar onde você pode estar sozinho para acalmar sua mente.

*A parte central da autocura é compreender que lições você está aprendendo com a sua doença.

*Os acontecimentos em nossa vida não acontecem por acaso, eles acontecem por uma razão, e entender isso é o começo para tomarmos o controle de nossa vida transformando-a.
*Pense que não há ninguém julgando você, logo não se julgue!

*Acredite profundamente que você pode recuperar ou saber lidar melhor com a sua condição de saúde atual.

*Quando descobrimos o padrão mental que está por trás de cada doença, temos a oportunidade de modificá-lo e nos curar.

*O corpo fala. Ele é como um mestre que nos avisa quando insistimos num comportamento que nos faz mal.


*Então sente-se, ou deite-se feche os olhos e fantasie o que você realmente deseja saber sobre a sua autocura, sem qualquer reserva, dúvidas ou pré- julgamentos.

 *Uma vez que você se sinta relaxado, use uma das duas maneiras básicas para acessar o inconsciente - visual ou oral.

*Sonhos: A maneira mais fácil de obter a informação que "lições sua doença está tentando ensinar-lhe",  é perguntando em seus sonhos

*Pouco antes de ir dormir, pedir de todo o coração e com determinação que você precisa aprender com esta experiência (doença).

*Você poderá obter a resposta seja em um sonho, ou então ao acordar. Por vezes levará alguns dias para obter a resposta. Não desanime!

*Seja paciente e persistente e apenas mantenha a pergunta até que a informação venha até você.

*Escrita Automática: Esta técnica também costuma fornecer informações mais complexas e detalhadas.

*Escolha um momento em que você está relaxado, alerta, calmo, e não será interrompido.

*Deite-se ou sente-se, como você preferir, com uma caneta e caderno na mão.

*Escreva as suas perguntas e as respostas que eles vêm na forma de um diálogo, pergunte ao seu corpo falar com você.

*Por exemplo, você pode começar desta maneira: "Meu corpo, você poderia vir e conversar comigo? Estou realmente tentando estar receptivo agora, e eu quero ouvir o que você tem para me dizer. Eu estou tentando entender porque eu estou doente; pode por favor falar sobre isso?"

*Você deve perguntar ao seu corpo para falar com você usando suas próprias palavras e sentimentos.

*Continue escrevendo, continue persuadindo, até você sentir uma resposta se formando em sua mente, e, em seguida, registre-a.

*O truque  é concentrar sua atenção sobre o ato de escrever, como quando você está tomando notas em uma sala de aula, de modo quenão haja espaço para a dúvida, a hesitação, medo...  continuar escrevendo.

*Envolva-se inteiramente nesta tarefa e, eventualmente, você vai começar a receber uma resposta. É realmente tão simples e direta que você não vai acreditar.

*Note-se que quando uma pessoa faz a escrita automática, pela primeira vez, as respostas tendem a sair espécie de incipiente, siga... é assim mesmo...  escrita compulsória. Não se preocupe se faz sentido ou não.

*Normalmente em automático algumas palavras ou frases surgem em sua mente um pouco mais rápido do que você pode escrevê-las, às vezes você pode obter parágrafos inteiros de uma só vez.

*Você também pode ver imagens aparecerem na sua mente, ou chegar a 'flashes' de cenas oníricas. Anote-as, sem crítica sem julgamentos. Grave tudo isso porque é tudo relevante, mesmo que algo possa não fazer sentido no momento.

*Se nada vem à mente em resposta às suas súplicas, ou se tudo o que vem à mente é  jargão, é possível que você esteja bloqueando o fluxo de ideias.

*Sua mente consciente em seu esforço para boicotar o processo pode dizer: "Isso não está funcionando" ou  "Eu não estou fazendo a coisa certa"... Não caia na armadilha!

*Continue tentando, continue escrevendo, mesmo que tudo que você recebe é conversa fiada. Somente a confiança pode abrir-lhe o suficiente para escrever automaticamente, caso contrário você se verá emaranhado-se com a dúvida.

*Se você está bloqueando, tente trocar para a mão não dominante. Mantenha-se na escrita, e em algum momento sua mente consciente vai relaxar seu controle e você vai começar a escrever automaticamente.

*Em seguida, basta escrever o que seu corpo lhe diz, pedindo a todas as perguntas que quiser ao longo do caminho. Você pode se surpreender com as respostas!

*A maior surpresa será, provavelmente, que você mesmo chamou a sua doença até você e que ela não veio "por acaso"... e por que razão você fez isso a si mesmo... 
 "o que estou tentando aprender com esta experiência"???

*Você também pode pedir ao seu corpo para obter informações específicas a respeito de dieta, exercícios, para acelerar o seu processo de cura, manter-se cheio de vitalidade, peso ideal....

Fonte: Robin Robertson - Como consultar o oráculo Interior usando a imaginação ativa
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

domingo, 15 de maio de 2016

O Golpe No Brasil - No Fascismo, o Mito Substitui a Razão



*Fascismo forma de radicalismo político autoritário nacionalista, com destaque no início do século XX na Europa.
*Os fascistas procuravam unificar sua nação através de um Estado totalitário que promove a vigilância, um estado forte, a mobilização em massa da comunidade nacional, confiando em um partido de vanguarda para iniciar uma revolução e organizar a nação em princípios fascistas hostis a todas as vertentes do marxismo, desde o comunismo totalitário ao socialismo democrático.
*Os movimentos fascistas compartilham certas características comuns, incluindo a veneração ao Estado, a devoção a um líder forte e uma ênfase em ultranacionalismo, etnocentrismo e militarismo. *O fascismo vê a violência política, a guerra, e o imperialismo como meios para alcançar o rejuvenescimento nacional e afirma que as nações e raças consideradas superiores devem obter espaço deslocando ou eliminando aquelas consideradas fracas ou inferiores... 
*Defendeu uma economia mista, com o objetivo principal de conseguir autarquia para garantir a autossuficiência, e a independência nacional através de protecionismo e políticas econômicas que intercalam intervencionismo e privatização.

Barthes ...  e os Petralhas, Esquerdistas, Comunas
*As afirmações, quando não os berros, prescindem de raciocínio ou, até, de racionalidade.

*São mitômanos e o mito é “o produto de uma determinada classe social dominante que acaba por ser incorporado pelos membros da classe dominada, mesmo quando vai contra os seus próprios interesses.

*O tema de hoje é a vulgata que todos estamos habituados a ver nas ruas, nas redes sociais: "cuba”, “venezuela”, “bolivarismo”, “esquerdista”, “petralha”, “comuna” e por aí vai...  Quem profere expressões como essas julga ser portador de uma verdade inquestionável.

*Ou seja, as pessoas acreditam nos poderes mágicos de palavras que, uma vez emitidas, lançam um anátema inescapável sobre o interlocutor.

*O fato é que todas essas palavras são cifradas e fazem parte de uma formação que o pensador francês Roland Barthes denominou “mito”.

*Barthes mantém o conceito no seu significado tradicional filosófico, ou seja, o de um discurso alegórico ou narrativa lendária que pretende dar um fundamento de natureza para a construção dos valores básicos dos povos.

*O semiólogo transporta esse conceito para os tempos modernos, pois, em seu entender, o quotidiano das sociedades contemporâneas está repleto de mitos – os pequenos e os grandes – que devem ser decifrados e revelados.
*Uma tese que ganha corpo com a revolução digital.  Apesar de ter mais de meio século, a teoria do mito mantém o seu fulgor e é uma ferramenta teórica que permite descortinar, de maneira eficiente, as contradições que marcam a evolução da sociedade atual.

*O mito é o meio para um fim: a imposição de uma certa ideologia (entendida aqui no sentido marxista, como uma consciência deformada) para a legitimação de uma ordem estabelecida.


*O mito encontra-se espalhado por todo o tecido social, seja no direito, na moral, na educação, na família ou na política.


*Mas é nos veículos de comunicação de massa – os grandes vetores de produção simbólica dos nossos tempos – que ele se torna mais cintilante.
*O mito tem a função de naturalizar a história e engessar o mundo, de forma a impedir a transformação.

*Neste contexto, o pensador faz uma denúncia da ideologia burguesa e pequeno-burguesa (o pequeno-burguês é o indivíduo por quem ele nutre uma profunda antipatia), que cria uma espécie de falsa natureza.

*Mas o que se entende por naturalização da história? É fazer com que os indivíduos aceitem determinados fatos como naturais, negligenciando as suas implicações sociais e históricas.

*O mito é, portanto, o produto de uma determinada classe social dominante que acaba por ser incorporado pelos membros da classe dominada, mesmo quando vai contra os seus próprios interesses.

*Produzir essa aceitação – pela naturalização – é a sua função. 


*Enfim, mito e ideologia são parentes muito próximos: entrelaçam-se, confundem-se são categorias incontornáveis para desmascarar o processo de legitimação da sociedade burguesa.

*O mito tem que ser invisível e natural, porque a sua identificação apontaria sempre para uma tentativa de manipulação.

*Barthes diz que o mito não é nem uma mentira nem uma confissão: é uma distorção.

*A sua função, na passagem da história à natureza, é despolitizar os fatos, transformando-os em coisas simples, inocentes.

*Não interessa a interdição, mas a exposição. É por isso que todos os dias a vulgata citada no início deste texto é repetida ad nauseam...


*Barthes diz que o mito e a direita andam atrelados. E quando está no campo de atuação da direita, o mito toma posse de tudo, da justiça, da moral, da literatura, da estética ...

*E o mais importante: o mito precisa de uma certa fraseologia e os slogans têm um papel insubstituível neste contexto.

*A frase feita ajuda a apreender e a justificar o mundo de uma maneira muito mais simples, permitindo uma constatação imediata e sem maiores reflexões.

*Para usar um exemplo típico dos dias de hoje, quando se diz que estamos a caminhar para a ditadura comunista parece a constatação de uma realidade inequívoca.

*Feita a afirmação, referendada por um slogan repetido de forma incessante, não é preciso haver constatação e a historicidade é alijada.

*Mas na verdade estamos frente a um processo de dominação onde o dominado é quem repete essas expressões. 

Fonte: José António Baço - (O texto é de 2014 e o autor é português)
 http://www.tijolaco.com.br/blog/
Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Projeto Amanhecer - Pesquisa Práticas Integrativas Complementares e Assistência Psicológica

Projeto Amanhecer: Saúde, Educação, Pesquisa e Atendimento com Práticas Integrativas Complementares, Terapias Alternativas e Assistência Psicológica



Localização: Hospital Universitário (HU)
Campus Universitário
Trindade – Florianópolis/SC



  
http://www.hu.ufsc.br/setores/projeto-amanhecer/historico/


(...)