terça-feira, 30 de setembro de 2008

"A Complicada Arte de Ver" - Rubem Alves



"... Ela entrou, deitou-se no divã e disse: “Acho que estou ficando louca”. Eu fiquei em silêncio aguardando que ela me revelasse os sinais da sua loucura.
 - “Um dos meus prazeres é cozinhar. Vou para a cozinha, corto as cebolas, os tomates, os pimentões - é uma alegria! Entretanto, faz uns dias, eu fui para a cozinha para fazer aquilo que já fizera centenas de vezes: cortar cebolas. Ato banal sem surpresas. Mas, cortada a cebola, eu olhei para ela e tive um susto. Percebi que nunca havia visto uma cebola. Aqueles anéis perfeitamente ajustados, a luz se refletindo neles: tive a impressão de estar vendo a rosácea de um vitral de catedral gótica. De repente, a cebola, de objeto a ser comido, se transformou em obra de arte para ser vista! E o pior é que o mesmo aconteceu quando cortei os tomates, os pimentões… Agora, tudo o que vejo me causa espanto.

”Ela se calou, esperando o meu diagnóstico.
Eu me levantei, fui à estante de livros e de lá retirei as “Odes Elementales”, de Pablo Neruda. Procurei a “Ode à Cebola” e lhe disse: “Essa perturbação ocular que a acometeu é comum entre os poetas. (...) Ver é muito complicado. Isso é estranho porque os olhos, de todos os órgãos dos sentidos, são os de mais fácil compreensão científica. A sua física é idêntica à física óptica de uma máquina fotográfica: o objeto do lado de fora aparece refletido do lado de dentro. Mas existe algo na visão que não pertence à física.
William Blake sabia disso e afirmou: “A árvore que o sábio vê não é a mesma árvore que o tolo vê”. Há muitas pessoas de visão perfeita que nada vêem....
Vinicius de Moraes adota o mesmo mote em “Operário em Construção”: “De forma que, certo dia, à mesa ao cortar o pão, o operário foi tomado de uma súbita emoção, ao constatar assombrado que tudo naquela mesa - garrafa, prato, facão - era ele quem fazia. Ele, um humilde operário, um operário em construção”.
A diferença se encontra no lugar onde os olhos são guardados. Se os olhos estão na caixa de ferramentas, eles são apenas ferramentas que usamos por sua função prática. Com eles vemos objetos, sinais luminosos, nomes de ruas ... Mas é muito pobre. Os olhos não gozam... Mas, quando os olhos estão na caixa dos brinquedos, eles se transformam em órgãos de prazer: brincam com o que vêem querem fazer amor com o mundo. Os olhos que moram na caixa de ferramentas são os olhos dos adultos. Os olhos que moram na caixa dos brinquedos, das crianças..." O texto acima foi extraído da seção “Sinapse”, jornal “Folha de S.Paulo”, versão on line, publicado em 26/10/2004.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Ψ Transtorno do Pânico

Segundo a Mitologia Grega, existia um deus chamado PÃ, filho de HERMES e DRÍOPE, era metade homem e metade bode. Quando nasceu, a própria mãe o rejeitou. Conhecido como divindade dos pastores, bosques e da fertilidade. Um deus dotado de espírito fálico e sexualidade insaciável. Apesar de feio, era bastante sedutor na posse de sua flauta.  Travesso, provocava armadilhas para rir de suas vítimas.

Em PSICOPATOLOGIA, dizemos que a SÍNDROME do PÂNICO caracteriza-se por um período de medo, sensação de perigo iminente que começa subitamente, com pico em dez minutos, com duração de 1 até 4 horas. Podendo se instalar também, com a AGORAFOBIA, uma esquiva a situações de difícil escape. O indivíduo passa a evitar elevadores, metrôs e ônibus, dirigir automóvel, enfrentar multidões e outras situações específicas. Para caracterizar o pânico é preciso que pelo menos 4 sintomas dos 13 conhecidos estejam presentes, ou seja, palpitações, dor e desconforto taráxico, sudores, náuseas, vertigens, dispnéia, despersonalização, medo de perder o controle e enlouquecer, medo de morrer, parestesias ou formigamentos nas extremidades, calafrios ou ondas de calor.
O Transtorno do Pânico não deve ser confundido com:
1.TRANSTORNO de ANSIEDADE GENERALIZADA: pois embora os pacientes que sofrem deste transtorno experimentem estados de ansiedade prolongada entre uma crise e outra, os portadores de ansiedade generalizada não apresentam crises de pânico e sim estados permanentes e prolongados de desconforto ansioso;

2. Com FOBIA SOCIAL pois embora esses pacientes evitem situações sociais e experimentem ansiedade e alguns outros sintomas do transtorno do pânico, seu isolamento social é motivado pelo medo de expor-se a situações humilhantes e não pelo receio de crises de pânico. Portanto, a FOBIA é um QUADRO PREVISÍVEL e o PÂNICO é INESPERADO e AMPLO.
3. Com o PÂNICO proveniente de ALTERAÇÕES QUÍMICAS (cocaína, maconha, crack, ecstasy ou anfetaminas).
Pesquisas revelam que as fobias estão relacionadas a fatores cognitivos e biológicos. Nos fatores cognitivos, as vias de atenção da memória ficam voltadas a estímulos que sinalizam perigo. Atualmente, estuda-se os fatores genéticos e a tendência familiar do indivíduo para se avaliar o grau de perpetuação do mal. Refere-se que as fobias são exageros dos medos ancestrais do homem,seria um receio natural de ser observado e pego em flagrante pelo predador que prepararia o organismo para o ataque ou fuga. 

TRATAMENTO: Os resultados mais eficazes tem sido observados quando o PSICÓLOGO trabalha em parceria com o PSIQUIATRA que possibilita a conjugação de PSICOTERAPIA com PSICOFÁRMACOS.
As PSICOTERAPIAS COGNITIVAS são recomendadas, (relaxamento, controle da respiração, dessensibilização sistemática).
A indicação de esportes poderá auxiliar no tratamento, pois os exercícios físicos liberam ENDORFINAS (antidepressivos naturais) que aumentam o bem estar do paciente. Somente um profissional qualificado poderá emitir o DIAGNÓSTICO, bem como o TRATAMENTO ADEQUADO.
LEMBRAR que não seguir o tratamento prolonga a doença e a dor desnecessariamente.
 (Fonte de Pesquisa: Organização Mundial de Saúde (OMS) - Código Internacional de Doenças (CID 10) - DSM-III-R, Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, American Psyquiatric Association, Washington, 1987).
(Fatima Vieira - Psicóloga Clínica)

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

plantar um jardim é como parir...


"... aprendi então a primeira lição da jardinagem. Jardins bonitos há muitos. Mas só traz alegria o jardim que nascer dentro da gente...

Plantar um jardim é como parir um filho. É preciso que o jardim se forme primeiro, como sonho.
Rickert tem um poeminha que diz assim: “Nossos dias são curtos mas com alegria os vemos passando se no seu lugar encontramos uma coisa mais preciosa crescendo: uma flor rara, exótica..."

...Conheci um homem muito rico, seu apartamento era imenso. Tendo muito dinheiro, ele contratou um decorador que encheu o seu apartamento com objetos caros e bonitos. Mas todos os objetos eram belos e mortos... Não havia “aconchego“. Aconchego existe quando os objetos têm o calor do corpo de alguém. O mesma coisa eu sinto quando olho para certos jardins. Especialmente os jardins dos edifícios São todos iguais: pedras, troncos, bromélias, palmeiras, as mesmas plantas, que não precisam de cuidados. Os moradores passam por ele sem nada ver... O jardim não diz nada. Ele não é de ninguém. O jardim não faz diferença. Nem sequer pensam em cuidar dele. Não sofrem quando uma planta morre.

Um psicanalista tem de ser um jardineiro a procura de um “jardim secreto“. Ele sabe da existência do “jardim secreto“ pelas plantas minúsculas que brotam nas fendas das nossas paredes de cimento. Toda pessoa tem um “jardim secreto“.

Um paisagista tem de ser um psicanalista que procura adivinhar o jardim que cresce dentro das pessoas. Fazer jardins convencionais é fácil... logo os olhos se acostumam... É preciso ter sensibilidade poética para ver o “jardim secreto“.

Todos estamos em busca de um jardim antiquíssimo. A alma não deseja novidades. A alma deseja aquilo que ela amou e perdeu. A alma quer sempre voltar. O “jardim secreto“ é o lugar para onde se volta...

...Você gostaria de plantar um jardim mas o seu espaço é pequeno. Mas isso não é impedimento. Pode-se plantar um jardim em qualquer lugar.

Há jardins que se plantam à volta das janelas e das portas. São lindas as trepadeiras floridas caindo pelas sacadas... Walt Whitman dizia que a flor de uma “Manhã Gloriosa“ lhe dava mais alegria que todos os livros de filosofia! As sacadas coloridas com gerânios vermelhos são, numa cidade, a revelação da alma dos seus habitantes!
Vamos! Anuncie o Paraíso! Plante um jardim!"

(Rubem Alves)

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Ψ DEPRESSÃO - socorro eu não estou sentindo nada...

"SOCORRO EU NÃO ESTOU SENTINDO NADA. Nem medo, nem calor, nem fogo. Não vai dar mais pra chorar. Nem pra rir... Socorro, alguém me dê um coração. Que esse já não bate nem apanha. Por favor, uma emoção pequena... qualquer coisa que se sinta, tem tantos sentimentos, deve ter algum que sirva..." (Composição: Alice Ruiz)
DEPRESSÃO: Do latim “deprimere”, no sentido de abater, debilitar, enfraquecer. Na PSICOLOGIA dentre as várias PSICOPATOGIAS é uma das mais estudadas, indica um desvio emocional com sintomatologia própria. O paciente apresenta mudanças em suas funções COGNITIVAS, INTELECTUAIS e AFETIVAS com variações entre LEVE, MODERADO, SEVERO (com ou sem sintomas psicóticos). O diagnóstico se faz com profissional especializado, sob critério do sistema de classificação do Código Internacional de Doenças (CID -10).
Na fenomenologia da depressão, o que se constata é uma perda maior ou menor da auto-estima. A fórmula subjetiva traduz-se em "PERDI TUDO AGORA O MUNDO ESTÁ VAZIO", Freud comparou a depressão ao fenômeno do luto, o vínculo com a perda é representado por centenas de recordações separadas: a dissolução do vínculo para cada uma delas realiza-se separadamente e isso leva tempo até a completa elaboração. FREUD chamou esse processo de "TRABALHO do LUTO".
Há considerações científicas que sugerem a atuação de fatores somáticos provenientes da hereditariedade na depressão e em outros trantornos mentais. Registra-se que se um dos Pais tem Transtorno Bipolar que é caracterizado pela ocorrência do Episódio Maníaco e Depressivo existe uma chance de 25 % de qualquer filho ter um Transtorno de Humor, se ambos os pais tiverem, as chances sobem para até 75 %.
- PRINCIPAIS QUEIXAS:
Humor deprimido na maior parte do dia e quase todos os dias;
Prazer reduzido ou total ausência de prazer;
Perda ou ganho de peso numa relação de 5% em um Mês;
Insônia ou hipersonia diária;
Agitação e ou retardo psicomotor; baixa concentração e memorização;
Fadiga, perda de energia em quase todos os dias;
Sentimento de inutilidade, culpa ou inadequação no convívio social;
Indecisões constantes; retraimento; Baixa auto-estima;
Pensamento de morte com ou sem ideação suicida.

- Há de se ter consciência que os Psicofármacos indicados, as doses prescritas, os Exames solicitados, o Retorno Clínico e a Psicoterapia, fazem parte do plano de tratamento.
Fonte Bibliográfica: FENICHEL, Otto - "Teoria Psicanalítica das Neuroses"
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL da SAÚDE (OMS)/ CÓDIGO INTERNACIONAL de DOENÇAS (Cid 10)/ DSM-III-R, Diagnostic and Statistical Manual of Mental Desorders, American Psychiatric Association, Washington, DC, 1987.
Freud, S., Luto e Melancolia, Ed. Standard das Obras Psicológicas Completas de S Freud, vol. XIV, Imago, Rio de Janeiro, 1970. (Fatima Vieira - Psicóloga Clínica)

"... mas é certo que a primavera chega" - Cecília Meireles

imagem: jardim Monet
"A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome... nem possua jardim para recebê-la... Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.
Esta é uma primavera diferente... só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores... e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.
Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação...
Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul
..."

"CANÇÃO PRÁ VOCÊ VIVER MAIS"

Nunca pensei
um dia chegar
E te ouvi dizer: Não é por mal
Mas vou te fazer chorar
Hoje vou te fazer chorar!
Não tenho muito tempo
Tenho medo de ser um só
Tenho medo de ser só um...
... Faz um tempo que eu quis
Fazer uma canção Prá você viver mais...
Deixei que tudo desaparecesse
E perto do fim
Não pude mais encontrar
E o amor ainda estava lá
O amor ainda estava lá...
 (Pato Fu)

"Do alto da montanha
Ou em um cavalo
Em verde vale
E tendo o poder de levitar...
... Sonho difícil de acordar
Quando seus amigos
Te surpreendem
Deixando a vida de repente
E não se quer acreditar...
Mas essa vida é passageira
Chorar eu sei que é besteira
Mas meu amigo!
Não dá prá segurar...
Não dá prá segurar
Não dá prá segurar."
(Ira - "Vida Passageira")
  


"Memória" - Cecilia Meireles

"MINHA FAMÍLIA ANDA LONGE,
COM TRAJOS DE CIRCUNSTÂNCIA:
UNS CONVERTERAM-SE EM FLORES,
OUTROS EM PEDRA, ÁGUA, LÍQUEN;
ALGUNS, DE TANTA DISTÂNCIA,
NEM TEM VESTÍGIOS QUE INDIQUEM
UMA CERTA ORIENTAÇÃO.
...TÃO LONGE, A MINHA FAMÍLIA!

TÃO DIVIDIDA EM PEDAÇOS!
UM PEDAÇO EM CADA PARTE...
PELAS ESQUINAS DO TEMPO,
BRINCAM MEUS IRMÃOS ANTIGOS:
UNS ANJOS, OUTROS PALHAÇOS...
SEUS VULTOS DE LABAREDA
ROMPEM-SE COMO RETRATOS
FEITOS EM PAPEL DE SEDA.
VEJO LÁBIOS, VEJO BRAÇOS,
-POR UM MOMENTO PERSIGO-OS;
DE REPENTE OS MAIS EXATOS
PERDEM SUA EXATIDÃO.
SE FALO, NADA RESPONDE.
DEPOIS, TUDO VIRA VENTO,
E NEM O MEU PENSAMENTO
PODE COMPREENDER
POR ONDE PASSARAM
NEM ONDE ESTÃO.
MINHA FAMÍLIA ANDA LONGE.

REFLETE-SE EM MINHA VIDA,
MAS NÃO ACONTECE NADA:
POR MAIS QUE EU ESTEJA LEMBRADA,
ELA SE FAZ DE ESQUECIDA:
NÃO HÁ COMUNICAÇÃO!
UNS NUVEM, OUTROS, LESMA...
VEJO AS ASAS,
SINTO OS PASSOS
DE MEUS ANJOS E PALHAÇOS,
NUMA AMBÍGUA TRAJETÓRIA
DE QUE SOU O ESPELHO E A HISTÓRIA.
MURMURO PARA MIM MESMA:"É TUDO IMAGINAÇÃO!"
MAS SEI QUE TUDO É MEMÓRIA..."

"Prá não dizer que não falei do vinho"

"Eu vivo sozinho e apaixonado
     não tenho ninguém aqui do meu lado
     Meu cachorro Vênus foi roubado,
    fiquei um pouco preocupado
   Vou me entorpecer bebendo vinho,
   eu sigo só o meu caminho...
   Chove pra caramba aqui no Rio
   penso no sul aquele frio
   A tv diz que vai fazer sol
   não sei se é bom ou é pior
  ... no rádio toca um velho rock´n´roll
   fico pensando a onde estou
   Nada satisfaz nesta hora
  se é assim eu vou embora..."
  (W.Wildner - "Bebendo vinho")


"Mon Dieu...
Donnez moi la sante pour longtemps
De l'amour de temps en temps
Du boulot, pas trop souvent
Mais du bordeaux tout les temps."
(poema popular francês)
"Meu Deus...
Dê-me a saúde por muito tempo
Amor de vez em quando
Trabalho, não muito assíduo
Mas Bordeaux todo o tempo."

 (...)
Farei brilhar o olhar da tua esposa querida,
A teu filho darei a potência e as cores
E serei pra este frágil atleta da vida
O óleo que traz força às fibras dos lutadores.

Em ti mergulharei, vegetal ambrosia,
O raro grão que lança o eterno semeador,
Pra que do nosso amor renasça a poesia
Que se erguerá a Deus como uma rara flor.
(Charles Baudelaire)


... é doce morrer no mar

"É DOCE MORRER NO MAR
Nas ondas verdes do mar
Saveiro partiu de noite foi
Madrugada não voltou
O marinheiro bonito sereia do mar levou
É DOCE MORRER NO MAR
NAS ONDAS VERDES DO MAR

... Ele se foi afogar
Fez sua cama de novo
no colo de Iemanjá..."

(Dorival Caymmi ) 
*Salvador/ 1914
 Rio de Janeiro/ 2008

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

"Como se fosse a Primavera"

Você chega assim sorrindo
Como se fosse a primavera
Eu morrendo
E de que modo sutil
Me derramou na camisa  
Todas as flores de abril
Quem lhe disse que eu era

Riso sempre e nunca pranto
Como se fosse a primavera
Não sou tanto
No entanto, que espiritual
Você me dar uma rosa
De seu rosal principal... 

 (Pablo/ Nicolas/ Chico Buarque)

E DEUS tem que vir a mim...

Mesmo para os descrentes há a pergunta duvidosa: E DEPOIS DA MORTE?
Mesmo para os descrentes há o instante de desespero: QUE DEUS ME AJUDE!
Neste mesmo instante estou pedindo que Deus me ajude.
Estou precisando.
PRECISANDO MAIS QUE A FORÇA HUMANA.
E estou precisando da minha própria força
Sou forte mas também sou destrutiva.
Autodestrutiva.
E quem é autodestrutivo
também destrói os outros.
Estou ferindo muita gente.

 
E Deus
tem que vir a mim,
já que eu não tenho ido a Ele.
Venha, Deus, venha.
Mesmo que eu não mereça, venha.
TALVEZ OS QUE MENOS MERECEM PRECISEM MAIS.
(Clarice Lispector)

Cecilia Meireles - "Primeiro Motivo da Rosa"

" VEJO-TE EM SEDA ... 
 e tão de orvalho trêmula,
que penso ver, efêmera,
Toda a beleza em lágrimas
por ser bela e ser frágil.

MEUS OLHOS TE OFEREÇO
espelho para a face
que terás, no meu verso,
quando depois que passes,
jamais ninguém te esqueça.

Então de SEDA... toda de orvalho trêmula,
serás ETERNA.
E efêmero o rosto meu, nas lágrimas
do teu ORVALHO... e frágil!

"Flores de Plástico Não Morrem"

"(...) CHOREI por ter despedaçado
as flores que estão no canteiro,
Há flores cobrindo o telhado
... e embaixo do meu travesseiro
Há flores em tudo o que eu vejo
A DOR vai curar essas lástimas
A flores tem cheiro de morte
A DOR vai fechar esses cortes
 

(dor tão intensa que acaba por curar a si mesma.)
FLORES... FLORES
AS FLORES DE PLÁSTICO NÃO MORREM
!"

hoje a tristeza não é passageira


Quando tudo está perdido Sempre existe um caminho
Quando tudo está perdido sempre existe uma luz,
Mas não me diga isso
Hoje a tristeza não é passageira
Hoje fiquei com febre a tarde inteira
E quando chegar a noite cada estrela
parecerá uma lágrima
Queria ser como os outros
E rir das desgraças da vida
... ver a leveza das coisas com humor
Mas não me diga isso
É só hoje e isso passa
Só me deixe aqui quieto
... amanhã é outro dia, não é?
Eu nem sei porque me sinto assim
Vem de repente um anjo triste
perto de mim
... e meu sorriso sem graça
Não me dê atenção
Mas obrigado por pensar em mim...
(Renato Russo)

tem dias que a gente se sente menos gente...


"Tem dias que a gente se sente
Um pouco, talvez, menos gente
Um dia daqueles sem graça
De chuva cair na vidraça
Um dia qualquer sem pensar
Sentindo o futuro no ar
O ar, carregado sutil
Um dia de maio ou abril
Sem qualquer amigo do lado
Sozinho em silêncio calado
Com uma pergunta na alma
Por que nessa tarde tão calma
O tempo parece parado?
"
(As Profecias - Raul Seixas e Paulo Coelho)

FLORBELA ESPANCA - "Alma Perdida"


Toda esta noite o rouxinol chorou,
Gemeu, rezou, gritou perdidamente!
Alma de rouxinol, alma de gente
,
Tu és, talvez, alguém que se finou!
Tu és talvez, um sonho que passou,
Que se fundiu na Dor, suavemente...
Talvez sejas a alma, a alma doente

De alguém que quis amar e nunca amou!
Toda a noite choraste... e eu chorei
Talvez porque, ao ouvir-te, adivinheiQue ninguém é mais triste do que nós!
Contaste tanta coisa à noite calma,
Que eu pensei que tu eras a minh'alma,
que chorasse perdida em tua voz.

Anêmona ou flor do vento

ANÊMONA ou "flor-do-vento”, está intimamente ligada à lenda de ADÔNIS e AFRODITE. Diz-se que brotou do sangue de Adônis, assassinado pelo deus ARES, ciumento da paixão entre esse belo mortal e aquela que fora a sua divina amante, AFRODITE. O vento que abre com o seu sopro as ANÊMONAS em botão dando lhes a vida, em seguida, com o mesmo sopro, atira as pétalas para longe causando-lhes a destruição.

Mitos, Lendas e Arquétipos 5 - ADÔNIS e AFRODITE

Embora seja mais conhecido como divindade grega teve, origem na Síria, cultuado sob o nome semita de Tamuz. ADÔNIS era um deus ETERNAMENTE JOVEM, relacionado à vida, à morte e ressurreição; no calendário agrícola, deus da caça. Refere-se ainda ter origem no mundo semítico como ADONAI "MEU SENHOR". ADÔNIS, nas mitologias fenícia e grega, era um JOVEM de GRANDE BELEZA que nasceu das relações incestuosas que o rei Cíniras de Chipre manteve com a sua filha Mirra. Despertou o amor de PERSÉFONE e AFRODITE. Mais tarde as duas deusas passaram a disputar a companhia do mesmo, e tiveram que submeter-se à sentença de ZEUS. Este estipulou que ele passaria um terço do ano com cada uma delas, mas ADÔNIS, preferia AFRODITE, permanecia com ela também o terço restante. Nasce desse mito a idéia do ciclo anual da vegetação, com a semente que permanece sob a terra por quatro meses.

A LENDA: Brincando, certo dia, com CUPIDO, AFRODITE feriu o peito em uma de suas setas (Se alguém fosse ferido pela flecha de Cupido, apaixonava-se pela primeira pessoa que visse). AFRODITE viu ADÔNIS, e apaixonou-se por ele. Desde então, já não se interessava por seus lugares favoritos: Pafos, Cnidos e Amatos, ricos em metais. Afastava-se até mesmo do céu, pois ADÔNIS lhe era mais caro. Seguiu-o, fez-lhe companhia. Ela, que gostava de se reclinar à sombra, sem outras preocupações a não ser a de cultivar seu encantos, anda pelos bosques preocupada com seu amado, recomenda-o a ser prudente e ser corajoso somente com os tímidos. Alerta que não foi seguido por ADÔNIS que continuou expondo-se aos perigos.
A felicidade de ambos foi interrompida quando um javali furioso feriu de morte o rapaz, (o deus da guerra ARES/ marte, amante de AFRODITE, ao saber da traição da deusa, decide atacar ADÔNIS). O jovem morto desceu então ao submundo, onde governava ao lado de Hades e sua esposa a deusa PERSÉFONE – a rainha do submundo, que já esperava por ele.
ADÔNIS SERIA O ÚNICO AMOR de AFRODITE, esta com muita dor sentenciou: A memória de meu sofrimento perdurará e o espetáculo de tua morte será anualmente renovado. TEU SANGUE SERÁ TRANSFORMADO EM FLOR. Assim falando, espalhou néctar sobre o sangue e, ao se misturarem os dois líquidos, levantaram-se bolhas, como numa lagoa quando cai a chuva, e, no espaço de uma hora, nasceu uma flor cor-de-sangue, como a da romã. UMA FLOR DE VIDA CURTA. Dizem que o vento lhe abre os botões e depois arranca e dispersa as pétalas, assim é chamada de ANÊMONA, ou FLOR-DO-VENTO, pois o vento é a causa tanto de seu nascimento como de sua morte.
(Thomas Bulfinch - do livro de ouro da mitologia/ e outras fontes)
Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

Sobre os Sonhos

imagem: Taiana Grando

                                                        imagem: Lagenee - 1724/1805
QUAL A IMPORTÂNCIA DOS SONHOS? Os gregos século VI a.C. buscavam nos santuários de ESCULÁPIO (deus da saúde) a cura através dos sonhos. Consultavam oráculos, induzindo sono através de poções mágicas, a técnica denominava-se "incubação dos sonhos". Outras culturas também recorriam aos sonhos na busca de diagnósticos, cura de doenças e problemas de alma (egípcios, japoneses, chineses, hebreus, mulçumanos). O profeta Maomé, sustentou que o Corão lhe fora revelado em sonhos. A Bíblia refere aproximadamente 600 sonhos proféticos. Hipócrates (460-377 a.C.), pai da medicina moderna, escreveu um tratado sobre os sonhos.
Experiências feitas com sonhos R.E.M - movimento rápido dos olhos (FISHER 1965), comprovaram que sonhar é necessidade neurofisiológica e sua privação acarreta danos mentais e físicos. Nos períodos R.E.M., ocorrem a ativação da área límbica do cérebro, que é a área relacionada com o funcionamento de impulsos e afetos.
Segundo PIAGET, os sonhos aparecem por volta de um a dois anos de idade, antes da linguagem estamos restritos à análise do comportamento. A criança pode falar durante o sono ou contá-lo imediatamente ao acordar. Alguns autores afirmam relatos de sonhos mais consistente a partir dos sete anos, onde a criança se torna o personagem principal. Os temas são variados desde animais que perseguem até bonecos com aparência deformada, está implícito o temor de isolamento, abandono, separação, agressão projetada ou de punição. Pesquisas realizadas por FOULKES com indivíduos sendo despertados durante o EEG (eletroencefalograma) descreveu sonhos de características variadas que não se reduzem na realização de desejos. Em seu conjunto, o sonho se apresenta sob uma forma relativamente realista, sem uma imaginação altamente disfarçada ou simbólica.
Para FREUD, o sonho é a “via régia” para o inconsciente, numa tentativa de resolver os desejos reprimidos. A mente humana opera em três níveis: ID, EGO e SUPEREGO. O método é etiológico e retrospectivo.
Para J
UNG, o sonho é a auto-representação espontânea e simbólica da situação atual do inconsciente. O método é teleológico (causa final) e prospectivo onde o sonho tem como enfoque o futuro imediato do sujeito.
Em complementação à Psicanálise de FREUD, JUNG afirma que subjacente ao EGO, SUPEREGO e ID, existe outra camada da consciência que foi denominada “Inconsciente Coletivo”. Para compreender e interpretar sonhos na concepção JUNGUIANA é necessário saber mais sobre INCONSCIENTE COLETIVO, MITOS e ARQUÉTIPOS. 

Bibliografia: AJURIAGUERRA, J., - Manual de Psiquiatria Infantil. Editora Atheneu.
FREUD, S., A Interpretação dos Sonhos. Edição comemorativa 100 anos. Editor Diversos, 2001.
JUNG, C.G., O Significado da Constituição e da Herança Para a Psicologia.
(Fatima Vieira - Psicóloga Clínica)

Mitos, Lendas e Arquétipos 4 - EROS e PSIQUE


EROS e PSIQUÊ: O TRIUNFO do AMOR Diz a lenda que certo dia espalhou-se a notícia de que uma mortal seria mais bela que AFRODITE. Esta não suportando a idéia pediu ao filho EROS, o deus do amor, que envenenasse a moça com sua seta fazendo-a se apaixonar por um monstro.
EROS ao avistar PSIQUÊ amarrada a uma rocha, ficou impressionado com tamanha beleza, sem querer acabou se ferindo com uma de suas setas, apaixonando-se por ela. Levou-a para seu castelo, advertindo-a para que usasse uma venda nos olhos sempre que estivessem juntos a fim de preservar sua identidade. Um dia, as irmãs de PSIQUÊ foram visitá-la e, invejosas de sua felicidade, convenceram-na a tirar a venda dos olhos, sugerindo que seu amado só poderia ser um monstro.
Numa noite de amor, ela puxou a venda e EROS voou pela janela. PSIQUÊ então suplicou à AFRODITE que devolvesse seu amado. A deusa vendo o sofrimento de ambos acabou se compadecendo desde que a moça cumprisse uma série de tarefas quase impossíveis.
TAREFA 1: Pede-lhe que separe por espécie numa só noite uma enorme quantidade de grãos de trigo, cevada, milho, lentilhas, favas etc... Ajudada por um batalhão de formigas, PSIQUÊ consegue o feito.
TAREFA 2: AFRODITE pede a PSIQUÊ que lhe traga flocos de lã de ouro de ovelhas selvagens venenosas. Um caniço verde lhe ensina a colher a lã ao entardecer, quando as ovelhas se amansavam num regato e PSIQUÊ poderia colher os flocos presos em seus galhos.
TAREFA 3: Buscar água da nascente do Estige, no alto de um rochedo guardado por terríveis dragões. Desta vez será uma águia quem virá em sua ajuda, colhendo para ela uma jarra dessa fonte.
AFRODITE quase enlouquece, dando a ÚLTIMA TAREFA: Que entre no HADES, reino dos mortos, para buscar com PERSÉFONE uma caixinha com o pó da juventude. Uma torre aconselha PSIQUÊ quanto às armadilhas do percurso, e ela cumpre sua perigosa viagem. Recebe em suas mãos a encomenda, mas já no caminho de volta, não resistindo à idéia de experimentar o pó mágico com o qual ficaria eternamente bela para EROS, abre a caixa, aspira e DESMAIA PARA SEMPRE NUM SONO PROFUNDO.
Mas por que fracassa PSIQUÊ quando tem nas mãos a caixa da imortalidade, estando prestes a vencer o jogo? Ela decide não entregar a AFRODITE aquilo que conquistou com seu sacrifício. A alma mortal, em conflito com a deusa, aceita atrair para si a maior das desgraças na tentativa extrema de alcançar ela própria a imortalidade, igualando assim sua condição a de seu amado divino. PSIQUÊ tudo sacrifica pelo Amor, até a própria vida, e por isso é que vence e se transforma.
EROS se aproxima de sua bela adormecida, guarda o sono de novo na caixa, e desperta PSIQUÊ para levá-la consigo ao Olimpo.
Também ele está amadurecido; curado pelo sacrifício da princesa, nada mais precisa fazer às escusas de sua mãe. E o herói vai pedir autorização a ZEUS para celebrar seu casamento. A divindade suprema reconhece o esforço da alma evoluída e transformada, e mostra a AFRODITE o absurdo de seu ciúme, pois PSIQUÊ agora é transcendente, imortalizou-se em sua grande iniciação, tornando-se digna do banquete dos deuses.
EROS, como todo herói, não foge à sua sina...sempre traz consigo uma ALMA APAIXONADA.
(Fatima Vieira - Psicóloga Clínica)

Mitos, Lendas e Arquétipos 3 - Afrodite, assim diz a lenda...

QUEM É AFRODITE?
Filha do sêmen de URANO derramado no mar, após sua castração por seu filho CRONOS. Daí a lenda de AFRODITE ter nascido da espuma do mar. Esposa de HEFESTOS (o Coxo), por ela ridicularizado em várias ocasiões. Simboliza as forças irreprimíveis da fecundidade, não em seus frutos, mas no desejo apaixonado que acendem entre os vivos.
(Chevalier e Gheerbrant, 1998).
AFRODITE (VÊNUS) é uma divindade de características orientais, cujo culto foi provavelmente introduzido na Grécia pelos Fenícios, muitas vezes assimilada à deusa fenícia ASTARTE.
Jamais se tinha visto uma beleza tão deslumbrante, pele branca como leite, os cabelos eram de ouro, os olhos cintilavam, as suas formas eram verdadeiramente harmoniosas e libertava do seu corpo um perfume de flor. ZÉFIRO recolheu-a numa concha de madrepérola e conduziu-a à ilha de Chípre, onde foi educada e vestida com roupagens preciosas e jóias para ser apresentada aos deuses e mortais.
Quando ela apareceu no OLIMPO, os deuses, extasiados de admiração, proclamaram-na DEUSA DA BELEZA e do AMOR. O poder de AFRODITE irá manifestar-se em todo o Universo. A sua soberania exercer-se-á sobre o céu e sobre o mar, sobre as plantas e sobre os animais, sobre os homens e sobre os deuses.
A primeira paixão de AFRODITE parece ter sido inspirada pelo jovem ADÔNIS, cuja morte trágica ela chorou amargamente. Mais tarde, seduz Faetonte, filho de Eos, e faz dele o guarda-noturno do seu santuário. Amou ainda, igualmente, Cíniras, rei de Chipre, conferindo-lhe opulência e longevidade.
Mas os caprichos de AFRODITE não pouparam sequer o Olimpo. Após sua aparição, todos os deuses se sentiram tomados por uma paixão súbita, mas foi HEFESTO, o mais desfavorecido de todos, que a desposou. É evidente que a deusa não perdeu tempo e procurou outros divertimentos. Assim, seduziu HERMES, que lhe deu um filho, cujo nome simboliza a união dos seus dois nomes: HERMAFRODITO. Mas a sua grande paixão foi ARES, DEUS DA GUERRA, que lhe deu o filho EROS, este malicioso perturbador do coração dos deuses e dos homens.
A DEUSA só é BENEVOLENTE ÀQUELES QUE A ADMIRAM... concede beleza e sedução ao marinheiro Fauno, a fim de que ele possa conquistar o amor da poetisa Safo, e dá vida à estátua de marfim esculpida por Pigmalião, rei de Chipre.
AFRODITE é representada nua ou seminua envolta estratégicamente em finos véus, cultuada por artistas como Boticelli, Ticiano, Velásquez, Rubens e outros.
 
"DONZELA DIVINA DONZELA SAGRADA DOCE NAMORADA VEM CÁ, VEM CÁ...
PRINCESA DAS CHAMAS PRINCESA DOS VENTOS PRINCESA DOS TEMPOS ONDE ESTÁS?
SOU VERÃO ARDENTE SOU LUA CRESCENTE, SOL DE MEIO-DIA RADIANTE ALEGRIA
SOU A SHAKTI PURA, DO FOGO O PODER, DOS VERBOS SAGRADOS EU SOU O QUERER.
DESPERTA DO SONO BELA ADORMECIDA RETORNA À MINHA VIDA ME FAZ BRILHAR.
DAI-ME TUA BELEZA TUA FORÇA E CORAGEM E NESTA PAISAGEM ENSINA-ME A AMAR...

"(para despertar a deusa recitar na lua crescente, assim diz a lenda...)

(Fatima Vieira - Psicóloga Clínica)

Mitos, Lendas e Arquétipos 2 - "Guerra nas Estrelas"


JOSEPH CAMPBELL, no livro O PODER do MITO, refere que mitos não são algo pra dar sentido a uma vida vazia, mas sim pistas para as potencialidades espirituais da vida humana, aquilo que somos capazes de conhecer e experimentar interiormente. Pra isso é preciso captar a mensagem dos símbolos. O mito o ajuda a colocar sua mente em contato com essa experiência de estar vivo.
No filme de GEORGE LUCAS, GUERRA NAS ESTRELAS, o vilão DARTH VADER representa uma figura arquetípica. Ele é um monstro porque não desenvolveu a própria humanidade. Quando ele retira a máscara, o que vemos é um rosto informe, alguém que não se desenvolveu como indivíduo humano. Ele é um robô, um burocrata, vive nos termos de um sistema imposto.
Este é o perigo que enfrentamos, como ameaça as nossas vidas. Será que o sistema vaiconseguir nos achatar, nos engessar e fazer-nos negar a nossa própria humanidade ou conseguiremos nos utilizarmos dele para atingir nossos propósitos humanos?
Como se relacionar com o sistema de modo a não ficar servindo-o compulsivamente?
O que é preciso aprender à viver no tempo que nos cabe viver como verdadeiros seres humanos, preservando nossa liberdade e identidade?
E isso pode ser feito, mantendo-se fiel aos próprios ideais, como LUKE SKY WALKER no filme, rejeitando as exigências impessoais que o sistema pressiona.
Ainda que bem sucedido há que se questionar: Que sucesso é esse que nos obriga a perder a liberdade e a não termos mais nenhuma atitude genuína frente à vida?
TENTE IR PARA ONDE SEU CORPO E SUA ALMA APONTAREM e mantenha-se firme no caminho que escolheu. A COMPAIXÃO, a ÉTICA, a BONDADE e a DISPOSIÇÃO em ENSINAR e COMPARTILHAR os DONS e os TALENTOS que lhes foram concedidos, CONSTITUEM O VERDADEIRO PODER, O RESTO É VAIDADE!!
(Fatima Vieira - Psicóloga Clínica)

Mitos, Lendas e Arquétipos 1 - O Fantasma da Ópera

WEBBER analisou com propriedade toda a dor de ser "diferente". O FANTASMA não é uma abstração, ele existe e é humano, fascinante, intrigante, o personagem vive nos subterrâneos do Teatro de Ópera Parisiense. Uma estudante de ballet do teatro e sua mãe se compadecem do FANTASMA e passam a rotegê-lo das discriminações. Assim cresce o FANTASMA longe do mundo que o rejeitara. O teatro passou a ser o seu mundo, seu porto seguro, o que o deixou FORTE, poderoso a ponto de mais tarde querer possuir o teatro. Ele era um GÊNIO, arquiteto, engenheiro, poeta, músico e compositor, de uma beleza interna invejável
para compensar a deformidade. Como gênio, usa todo seu conhecimento para seduzir emanipular.
O FANTASMA se apaixona por CHRISTINE uma donzela órfã, baialarina e cantora, AMOR inicialmente PLATÔNICO. Ele passa a treinar CHRISTINE para ser uma cantora perfeita. Mas ele a deseja intensamente, pois enquanto homem, nunca havia experimentado os prazeres da carne. Ela precisa ser seduzida para o seu mundo subterrâneo. Ele não tem limites, nem freios, age por instinto não possui habilidade nem etiqueta para conquistá-la e lutará feito louco pelo amor de CHRISTINE, machucando e odiando a todos que tentam impedir de
realizar seu intento. Por outro lado, CHRISTINE, SOFRE PROFUNDAMENTE A MORTE DO PAI, não conseguindo superar a dor da separação. O Pai lhe prometera que após sua morte lhe enviaria "um ANJO da MÚSICA" para protegê-la. O FANTASMA aproveitando da vulnerabilidade de CHRISTINE, finge ser o tal ANJO. Em uma bela cena num barco ele a leva para o seu mundo. O GÊNIO a hipnotiza e seduz, fazendo com que o ambiente frio, úmido e insalubre, se transforme numa bela paisagem. Tudo torna-se dourado, espelhado e quente... um exuberante palácio de luz e cores... Ela já não é uma menina, cumpre o rito de passagem e torna-se MULHER com a SENSUALIDADE à FLOR da PELE, Christine canta: "Learn To Be Lonely"
"FILHO DA SOLIDÃO NASCIDO PARA O VAZIO APRENDA A SER SÓZINHO, APRENDA A ENCONTRAR SEU CAMINHO NA ESCURIDÃO. QUEM ESTARÁ LÁ PARA CONFORTAR E CUIDAR DE VOCÊ?... APRENDA A SER SUA PRÓPRIA COMPANHIA VOCÊ SEMPRE SOUBE QUE SEU CORAÇÃO ESTÁ POR CONTA...ENTÃO, RIA DE SUA SOLIDÃO."
CHRISTINE ao se deparar com uma estátua sua vestida de noiva sofre um choque violento e desmaia, ao despertar, num ímpeto arranca a máscara do FANTASMA. Este fica enfurecido, e ela assustada com a imagem trágica.
Porém, existe outro homem RAOUL, este é amigo de infância de CHRISTINE, ele é um nobre, elegante, romântico e apaixonado. O FANTASMA e RAOUL disputam o amor dela, o FANTASMA é todo instinto, a incerteza, a paixão desenfreada. RAOUL será um relacionamento convencional, aceito pela sociedade.
CHRISTINE canta: "ALL I ASK OF YOU"
"CHEGA DE FALAR EM TREVAS ESQUECE ESSES MEDOS EU ESTOU AQUI, NADA PODE LHE MACHUCAR, MINHAS PALAVRAS VÃO LHE AQUECER E ACALMAR. DEIXE-ME SER SUA LIBERDADE, DEIXE ALUZ DO DIA SECAR SUAS LÁGRIMAS ESTOU AQUI COM VOCÊ, A SEU LADO, PARA LHE GUARDAR E PROTEGER."
Num baile de máscaras RAOUL e CHRISTINE ficam noivos. O FANTASMA aparece, já que todos estão mascarados ele sente-se UM POUCO COMO TODO MUNDO. Ela esconde a aliança. Ela escolhe RAOUL, mas continua presa ao FANTASMA. Ela percebe então que precisa se despedir do fantasma do passado. Numa cena ímpar, ela vai ao túmulo do Pai dizer ADEUS!
E canta: "Wishing You were Somehow Here Again: "UMA
VEZ VOCÊ FOI MEU ÚNICO COMPANHEIRO, VOCÊ ERA TUDO QUE IMPORTAVA... UMA VEZ VOCÊ FOI MEU AMIGO E PAI, E ENTÃO MEU MUNDO SE DESMORONOU.
DESEJANDO QUE DE ALGUMA FORMA VOCÊ ESTIVESSE AQUI NOVAMENTE, PARECE ATÉ QUE SE EU SONHASSE, DE ALGUMA FORMA VOCÊ ESTARIA AQUI...
SINOS PASSAGEIROS E ANJOS ESCULPIDOS FRIOS E MONUMENTAIS PARECEM SER A COMPANHIA ERRADA PARA VOCÊ, QUE SEMPRE ERA TÃO CALOROSO E GENTIL.
ANOS DEMAIS LUTANDO CONTRA AS LÁGRIMAS, PORQUE O PASSADO NÃO PODE SIMPLESMENTE MORRER? AJUDE-ME A DIZER ADEUS..."
(Fatima Vieira - Psicóloga Clínica)

O que tinha que ser

"PORQUE FOSTE NA VIDA A ÚLTIMA ESPERANÇA
ENCONTRAR-TE ME FEZ CRIANÇA
PORQUE JÁ ERAS MEU SEM EU SABER SEQUER
PORQUE ÉS O MEU HOMEM E EU TUA MULHER
PORQUE TU ME CHEGASTE SEM ME DIZER QUE VINHA
E TUAS MÃOS FORAM MINHAS COM CALMA
PORQUE FOSTE EM MINH'ALMA COMO UM AMANHECER
PORQUE FOSTE O QUE TINHA QUE SER
."
(Vinicius/ Tom Jobim)

"Amor e Síntese"

Por favor não me analise
não fique procurando cada ponto fraco meu
Se ninguém resiste a uma análise profunda,
quanto mais eu
ciumento, exigente, inseguro, carente
Todo cheio de marcas que a vida deixou
Vejo em cada grito de exigência, um pedido de carência,
um pedido de amor
Amor é síntese é uma integração de dados
Não há o que tirar nem por
não me corte, ninguém consegue abraçar um pedaço...
ME ENVOLVA TODO EM SEUS BRAÇOS
E EU SEREI PERFEITO AMOR!

(Mario Quintana)

Hoje Sinto-me Só...

" ... Hoje sinto-me só, finíssima neblina há no meu ser, e em minha alma triste faz frio. Se lá fora há calor e ouço o prazer cantando na alegria de viver, por que no meu destino esse vazio?
Hoje sinto-me só, há uma tortura nessa profunda e impenetrável mágoa... Minha vida é uma sombra... é uma figura que se debruça na noite escura... Quanta gente infeliz sentirá com certeza, ânsia igual a que sinto rondando minha alma... Esse rumor que chega aos meus ouvidos, é a canção de mil beijos escondidos de lábios entre-abertos e vencidos que se procuram na ilusão do amor... Eu bem sei porque sofro e o que almejo, minto afirmando que não sei porquê, falta uma boca para o meu desejo, falta um corpo que eu quero e não vejo... Falta por que não confessar? Você!"

"... ESSES VERSOS QUE TE DOU também são seus... Sózinha, hás de escutá-los sem ninguém que possa perturbar vossa ventura... Se nesse tempo, eu já tiver partido e outros versos quiseres, teu pedido deixe ao lado da cruz para onde eu vou... E quando novamente, então tu fores, PODES COLHER DO CHÃO TODAS AS FLORES, POIS SÃO OS VERSOS DE AMO QUE AINDA TE DOU.  ("Meu Céu Interior" - J. G. de Araújo Jorge)

Karl Marx - (1818/ 1883)


"O livre desenvolvimento de cada um é condição para o livre desenvolvimento de todos."

domingo, 14 de setembro de 2008

Beethoven - (1770/ 1827)

"... Quem já conseguiu o maior tesouro, quem já encontrou uma mulher amável, rejubile-se conosco, mesmo se alguém conquistar apenas uma alma... uma única em todo o mundo. Mas aquele que falhou nisso... que fique chorando sozinho!" ( Beethoven - 1824)

JUNG - (1875/ 1961)

" E CHEGOU O DIA EM QUE O RISCO DE CONTINUAR FECHADO EM BOTÃO, DOÍA MAIS DO QUE O RISCO DE FLORESCER."

EINSTEIN - (1879/ 1955)


" Eu quero saber como Deus criou este mundo. Não estou interessado neste ou naquele fenômeno, eu quero é conhecer os pensamentos Dele, o resto são detalhes."

Clarice Lispector - (1925/ 1977)

"... porque tinha suas ausências o rosto se perdia numa tristeza impessoal, sem rugas... uma tristeza mais antiga que o seu espirito, os olhos paravam vazios, a fonte onde ela bebia a solidão devia ser antiga e pura."
"Eu mesma vivo me levantando e caindo, dentro de mim morreram muitos tigres, mas os que sobreviveram estão livres; uma pessoa que quizesse tomar minha direção seria bem vinda... Só que eu nunca sei se quero descansar pq estou realmente cansada ou se quero desistir."
"Eu alquimista de mim mesma, vivo em eterna mutação com novas adaptações a meu renovado viver, vivo esboços não acabados e vacilantes. Me equilibro como posso entre MIM e EU, entre EU e os OUTROS, entre EU E DEUS."

Simone de Beauvoir - (1908/ 1986)

"Não se nasce mulher, torna-se... a inferioridade feminina não é natural e sim construída socialmente."
Simone insiste na igualdade entre os sexos e incita as mulheres a se emanciparem, principalmente através da independência econômica. (livro "O Segundo Sexo")

O mais brilhante de todos os anarquistas

"... sou amante fanático da liberdade e só aceito uma liberdade digna deste nome, aquela que consiste no pleno desenvolvimentode todas as potencialidades materiais, intelectuais e morais que se encontrem em estado latente em cada um."
“Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável: o governo da imensa maioria das massas populares se faz por uma minoria privilegiada. Esta minoria, porém, compor-se-á de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornem governantes ou representantes do povo, cessarão de ser operários e passarão a observar o mundo proletário de cima do Estado; não mais representarão o povo, mas a si mesmos e suas pretensões de governá-lo. Quem duvida disso não conhece a natureza humana.” (Bakunin - 1814/ 1876)
Bakunin foi contemporâneo de Marx e com ele fundou a 1ª Internacional, saindo depois por divergências entre ambos, Bakunin defendia que as energias revolucionárias deveriam ser concentradas na destruição das “coisas”, no caso, o Estado, e não das “pessoas”.

Ernesto Che Guevara - (1928/1967)


"... sentir profundamente qualquer injustiça cometida contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo, isso é ser revolucionário!"

SARTRE - (1905/1980)

"Basta que um homem odeie outro para que o ódio ganhe pouco a pouco a humanidade inteira."

Isadora Duncan - (1877/1927)

"... o vermelho é a cor das pessoas que realizam o verdadeiro trabalho no mundo... essa é a cor dos artistas, dos batalhadores, trabalhadores e dos poetas; é a minha cor graças a Deus! meu sangue ainda é vermelho, mesmo depois de ter passado pelos EUA."

A Dança da PSIQUÊ


A dança dos encéfalos acesos
Começa.
A carne é fogo.
A alma arde.
A espaços
As cabeças, as mãos, os pés e os braços
Tombara, cedendo à ação de ignotos pesos!
É então que a vaga dos instintos presos—
Mãe de esterilidades e cansaços
—Atira os pensamentos mais devassos
Contra os ossos cranianos indefesos.
Subitamente a cerebral coréa
Pára.
O cosmos sintético da Idéa
Surge.
Emoções extraordinárias sinto...
Arranco do meu crânio as nebulosas.
E acho um feixe de forças prodigiosas
Sustentando dois monstros: a alma e o instinto!
(Augusto dos Anjos)

INCONSCIENTE e ARQUÉTIPOS

O INCONSCIENTE está presente em todos os momentos de nossa existência. Sendo que, através dos SONHOS onde a censura fica rebaixada, é que ele se manifesta de maneira mais evidente através do simbolismo dos arquétipos. Ele também se apresenta no quotidiano CONSCIENTE através dos "ATOS FALHOS", quando falamos "por engano" algo totalmente adverso da circunstância vivenciada.
Tanto a nossa constituição física quanto a psíquica são provenientes históricamente dos nossos ancestrais. FREUD mencionava "RESÍDUOS ARCAICOS" e JUNG denominou-os de "ARQUÉTIPOS".
"... Quanto mais avançamos cientificamente e julgamos elucidados os mistérios da existência, mais nos afastamos da natureza de nossos símbolos e mitos. (...) as pessoas tem a impressão de que há ou haverá uma grande diferença se pudessem acreditar positivamente num sentido de vida mais significativo em DEUS ou na IMORTALIDADE."

(Carl Gustav Jung - O Homem e seus Símbolos)

(Fatima Vieira - Psicóloga Clínica)

Quem Foi Carl Gustav Jung


Psiquiatra Suíço – Fundador da Psicologia Analítica (1875-1961),
Discípulo de FREUD (1856-1939) ;
1900- forma-se em medicina;
1903- Casa-se com Ema e tem cinco filhos;
1910- Preside a Associação Psicanalítica Internacional;
1913- Rompe com FREUD;
1927- Com Richard Wilhelm publica “O SEGREDO DA FLOR DE OURO”, e “MEMÓRIAS, SONHOS E REFLEXÃO”.
1961- Finaliza o livro “O HOMEM E SEUS SÍMBOLOS.”
 

JUNG estudou História das Religiões, antropologia e física. Em relação à física, percebeu uma correspondência entre os princípios da física quântica e suas próprias idéias a respeito da Psicologia. A CONSCIÊNCIA tem papel fundamental e ativo nos resultados das experiências realizadas para estudar o fenômeno quântico. As idéias das atualizações do inconsciente podem ser pensadas como sendo o resultado de acontecimentos e excitações a nível quântico, pois o INCONSCIENTE É TAMBÉM UM ESPAÇO VIRTUAL DE POSSIBILIDADES, o vazio algo que corresponde ao conceito de vácuo quântico, termo presente na teoria quântica.
A física tradicional vigorou todo o século XX, a visão de mundo newtoniana e cartesiana, é mecanicista e determinista. O espaço é tridimensional, absoluto, linear, idêntico e o tempo sendo absoluto segue imóvel (passado, presente e futuro). Esta visão mecanicista implicava num determinismo rigoroso- tudo possuía uma causa definida que gerava um efeito (O PRINCÍPIO DA CAUSALIDADE). A base filosófica de DESCARTES século XVII, dividia o EU-MUNDO, a objetividade da ciência. Com a divisão cartesiana, indivíduos na sua maioria tem consciência de si mesmo como ego isolado, existindo em um corpo. Com ALBERT EINSTEIN (1905), houve rupturas conceituais revolucionárias na física tradicional, através da TEORIA DA RELATIVIDADE a noção de que espaço e tempo estão intimamente vinculados formando um “continuum quadridimensional” espaço e tempo (não se pode falar de um sem sem o outro) e massa é uma forma de energia.
Na astrofísica moderna, diz-se que o átomo possui uma memória intrínseca.  A física esclarece que tudo no universo é energia e que não há matéria realmente sólida, pois a mais dura peça de aço nada mais é do que um conjunto de átomos em movimento. O que varia é a sua densidade.  Pode-se dizer que em cada partícula de matéria há uma força invisível (a força gravitacional e a força fraca) ou energia que obriga um átomo a girar em torno do outro, numa incrível velocidade. Na década de 20, físicos criaram a mecânica quântica ( Niels Bohr, Erwin, Pauli).  O ser humano entrava pela primeira vez no estranho e inesperado mundo subatômico. O princípio fundamental da Teoria Quântica é a INCERTEZA (Heisenberg) e as leis são expressas em termos de PROBABILIDADES.  A incerteza substitui então o determinismo e a objetividade (é o observador que por meio da observação que fixa o eletron, densifica sua energia e o observa numa determinada posição). No nível subatômico não se pode dizer que a matéria existe com certeza em lugares definidos, diz-se “tendência a existir ou ocorrer o evento”.