sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Projeto Amanhecer “Saúde, Educação, Pesquisa e Atendimento com Práticas Integrativas-Complementares, Terapias Alternativas e Assistência Psicológica”. UFSC/ HU

Inscrições para o projeto amanhecer 1° bimestre de 2018
Acontecerá nos dias 06 e 07 de março. Deverá ser feita presencialmente no Projeto Amanhecer (Núcleo de Capacitação Técnica do HU), das 08:00 às 12:00 e das 14:00 às 18:00. Para os usuários que possuem vínculo com a UFSC/HU, é necessário apresentar documentação que comprove o mesmo (atestado de matrícula, crachá, etc). Para realização das inscrições serão distribuídas 150 senhas por período. Em caso de dúvida entrar em contato.   http://www.hu.ufsc.br


quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Democracia do Brasil Empurrada para o Abismo - NYT - 23.01.2018

Democracia do Brasil empurrada para o Abismo
texto: Mark Weisbrot - 23 de janeiro de 2018
Fonte: Jornalistas Livres

WASHINGTON - A regra da lei e a independência do judiciário são realizações frágeis em muitos países - e susceptíveis a reversões bruscas.

O Brasil, o último país do mundo ocidental a abolir a escravidão, é uma democracia bastante jovem, tendo saído da ditadura há apenas três décadas. Nos últimos dois anos, o que poderia ter sido um avanço histórico - o governo do Partido dos Trabalhadores concedeu autonomia ao judiciário para investigar e processar a corrupção oficial - tornou-se o contrário. Como resultado, a democracia brasileira agora é mais fraca do que aconteceu desde que o governo militar acabou.

Esta semana, em que a democracia pode ser mais corroída quando um tribunal de apelação de três juízes decidir se a figura política mais popular do país, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores, será impedido de competir nas eleições presidenciais de 2018, ou mesmo preso.

Não há muita pretensão de que o tribunal seja imparcial. O presidente do painel de apelação já elogiou a decisão do juiz de julgamento de condenar o Sr. da Silva por corrupção como "tecnicamente irrepreensível", e o chefe de gabinete do juiz postou em sua página no Facebook uma petição pedindo a prisão do Sr. Silva.

O juiz de julgamento, Sérgio Moro, demonstrou seu próprio partidarismo em numerosas ocasiões. Ele teve que pedir desculpas ao Supremo Tribunal em 2016 por divulgar conversas telefônicas entre o Sr. da Silva e a presidente Dilma Rousseff, seu advogado e sua esposa e filhos. O juiz Moro organizou um espetáculo para a imprensa em que a polícia apareceu na casa do Sr. da Silva e levou-o para interrogatório - apesar de o Sr. da Silva ter dito que iria denunciar voluntariamente para interrogatório.

A evidência contra o Sr. da Silva está muito abaixo dos padrões que seriam levados a sério, por exemplo, no sistema judicial dos Estados Unidos.

Ele é acusado de ter aceitado um suborno de uma grande empresa de construção, chamada OAS, que foi processada no esquema de corrupção "Carwash" no Brasil. Esse escândalo de vários bilhões de dólares envolveu empresas que pagam grandes subornos a funcionários da Petrobras, empresa estatal de petróleo, para obter contratos a preços grosseiramente inflacionados.

O suborno alegadamente recebido pelo Sr. da Silva é um apartamento de propriedade da OAS. Mas não há provas documentais de que o Sr. da Silva ou sua esposa já tenham recebido títulos, alugados ou mesmo ficaram no apartamento, nem que tentaram aceitar esse presente.

A evidência contra o Sr. da Silva baseia-se no testemunho de um executivo da OAS condenado, José Aldemário Pinheiro Filho, que sofreu uma pena de prisão reduzida em troca da evidência do estado de viragem. Segundo o relato do importante jornal brasileiro Folha de São Paulo, o Sr. Pinheiro foi impedido de negociar a súplica quando ele originalmente contou a mesma história que o Sr. da Silva sobre o apartamento. Ele também passou cerca de seis meses na prisão preventiva. (Esta evidência é discutida no documento de sentença de 238 páginas).

Mas essa escassa evidência foi suficiente para o juiz Moro. Em algo que os americanos poderiam considerar como um processo de canguru, condenou o Sr. da Silva a nove anos e meio de prisão.

O estado de direito no Brasil já havia sido atingido por um golpe devastador em 2016, quando a indicada do Sr. Silva, Sra. Rousseff, eleita em 2010 e reeleita em 2014, foi acusada e demitida do cargo. A maior parte do mundo (e talvez a maioria do Brasil) pode acreditar que ela foi acusada de corrupção. Na verdade, ela foi acusada de uma manobra contábil que temporariamente fez com que o déficit orçamentário federal fosse menor do que seria de outra forma. Era algo que outros presidentes e governadores faziam sem consequências. E o próprio promotor federal do governo concluiu que não era um crime.

Embora houvesse funcionários envolvidos na corrupção de partidos em todo o espectro político, incluindo o Partido dos Trabalhadores,
não houve acusações de corrupção contra a Sra. Rousseff no processo de impeachment.

O Sr. da Silva continua a liderar nas eleições de outubro por causa do sucesso dele e do partido em reverter um longo declínio econômico. De 1980 a 2003, a economia brasileira mal cresceu, cerca de 0,2 por cento anualmente per capita. O Sr. da Silva assumiu o cargo em 2003 e a Sra. Rousseff em 2011. Em 2014, a pobreza foi reduzida em 55% e a pobreza extrema em 65%. O salário mínimo real aumentou 76%, o salário real geral aumentou 35%, o desemprego atingiu níveis recordes e a infame desigualdade do Brasil finalmente caiu.

Mas em 2014, uma profunda recessão começou, e a direita brasileira conseguiu aproveitar a desaceleração para classificar o que muitos brasileiros consideram um golpe parlamentar.

Se o Sr. da Silva for impedido da eleição presidencial, o resultado poderia ter pouca legitimidade, como nas eleições hondurenhas de novembro, que eram amplamente vistas como roubadas. Uma pesquisa no ano passado descobriu que 42,7% dos brasileiros acreditavam que o Sr. da Silva estava sendo perseguido pelos meios de comunicação e pelo judiciário. Uma eleição não-crivel pode ser politicamente desestabilizadora.

Talvez o mais importante, o Brasil se reconstituirá como uma forma de democracia eleitoral muito mais limitada, em que um judiciário politizado pode excluir um líder político popular de se candidatar a cargos. Isso seria uma calamidade para os brasileiros, a região e o mundo.

sábado, 23 de dezembro de 2017

Ψ Repensar, Reciclar, Renovar.. ♻

*É hora de mudança... remover, limpar, varrer, doar, ressignificar...
*A dificuldade em aceitar que precisamos mudar só provoca mais resistência e medo.
*Escolher dançar com a mudança significa que você se permite fluir com ela.  *Deixe-se entrar sem limites na dança caótica da transformação e você será ricamente abençoada com muitas possibilidades. É hora de se permitir fazer algo completamente novo.

Deusa Oya:
Eu trabalho de modo profundo
Sempre em movimento
Eu trabalho de modo dramático
com trovões e relâmpagos
Varrendo e extirpando
Mas também de forma sutil
Empurrando e lentamente deteriorando
Eu rodopio e giro... 
É a forma que encontro para abrir seu caminho
O que não posso é ser ignorada
Chame por mim!

*A Deusa Oya sugere mudança e diz que a terra precisa ser revolvida antes que algo possa ser plantado, e que a mudança vai lhe trazer exatamente àquilo que você precisa para em seu caminho rumo à totalidade. 

*Na mitologia africana a Deusa Oya é a deusa iorubá dos fenômenos climáticos, tornados, raios, fogo, tempestades destrutivas. *Casada com Ogum, sua cor é violeta ... *Liderança feminina, do encanto persuasivo e da transmutação. *Equivale à poderosa Iansã na mitologia brasileira. *Sincretismo: na tradição cristã Santa Bárbara.

*De acordo com a tradição Xamã os animais exibem padrões de comportamentos capazes de transmitir mensagens ocultas a qualquer ser atento o bastante para captar suas lições de vida.

*O que o Esquilo por exemplo pode nos ensinar sobre mudanças ou  medo delas?

Patrícia Christensen
Esquilo... Você armazenou nozes
No oco do tronco, para uma eventual necessidade.
Ensina-me a colher apenas o necessário,
Confiando na Providência Divina
Para efetuar a semeadura e a colheita suficiente,
(sem degradar o ambiente).

*Na insegurança destes tempos é importante ser previdente... poupando para eventuais emergências... entretanto, o sistema capitalista excede ... transformando o ser humano em acumulador compulsivo, e isso sabemos leva a uma condição psicopatológica.

*Na ansiedade, você acaba por acumular coisas em demasia, livre-se delas.

*Isso equivale a um conceito intelectual sectário, preocupação, pressão, estresse... ou meros objetos que você mantém guardados caso um dia venha a precisar. que por vezes só ocupa espaço, impedindo a entrada de outras possibilidades.

*Armazenamento só tem sentido se equilibrado... equilíbrio que resulta da correta circulação e constante renovação do estoque para uma fonte revigorada e melhor qualidade de vida. ... 

O Esquilo ainda ensina a guardar em local seguro o que de fato é importante para nós... 

*Aqui não se refere somente aos bens materiais escondidos em compartimentos secretos... 

*Na dimensão humana, o local mais seguro é ainda poder recorrer ao jardim secreto e inviolável da mente serena e do coração cheio de compaixão por todos os seres vivos... 

*Neste compartimento secreto reside uma fonte inesgotável de energias benéficas  que irão libertar seu coração e mente, propiciando prosperidade e autocura. 

*Os bens que realmente valem à pena são a saúde, a sabedoria e o amor.

"Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. (Mateus 6.19-21)

“TUDO TEM O SEU TEMPO DETERMINADO, E HÁ  TEMPO  PARA TODO  PROPÓSITO  DEBAIXO DO CÉU “. (Eclesiastes  3: 1- 11)

(...) o seu tempo é um presente dos Deuses... mas não é o tempo dos deuses ... por isso é tão valioso que não tem preço... Ainda há quem diga que tempo é dinheiro...

*Lembramos que na mitologia o deus cronos é por excelência o deus do tempo.

Ivan Akimov
*Cronos (em grego: Κρόνος, Krónos), é o mais jovem dos titãs, filho de Urano, o céu estrelado, e Gaia, a terra.

*Cronos simbolicamente é o tempo medido pelo relógio, calendário, rotina. É o tempo determinado dentro de um limite.

*Kairos remete ao  momento certo, oportuno. Refere-se a um aspecto qualitativo do tempo.
                                                                                                           
Fonte: Amy Sophia Marashinsky - O Oráculo da Deusa
Jamie Sams & David Carsom- A Descoberta do Poder Através  da Energia dos Animais
https://pt.wikipedia.org › wiki › Chronos de pt.wikipedia.org
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clinica

domingo, 17 de dezembro de 2017

Ψ Conselho Federal de Psicologia repudia mudanças na política de saúde mental

Proposta do Ministério da Saúde desfigura a política de saúde mental e afronta diretrizes da política de desinstitucionalização psiquiátrica

(...) Entre as modificações propostas pelo governo estaria a manutenção de leitos em hospitais psiquiátricos, a ampliação de recursos para comunidades terapêuticas e a limitação na oferta de serviços extra-hospitalares.
Para o CFP, o texto do Ministério da Saúde contém pontos que desfiguram a política de saúde mental e afrontam as diretrizes da política de desinstitucionalização psiquiátrica, prevista na Lei 10.216/2001, além de violar as determinações legais no que se refere à atenção e cuidado de pessoas com transtorno mental estabelecidas na Convenção sobre Direitos das Pessoas com Deficiência e na Lei Brasileira de Inclusão.
Além disso, o plano vislumbra um redirecionamento progressivo de uma rede comunitária para um modelo baseado em instituições médico centradas, privadas, promotoras de estigma e segregação e que se mostrou historicamente ineficiente.   

Nada adiantou. Nem mesmo estes, entre tantos outros apelos de profissionais e entidades especializadas foram suficientes. A reunião ordinária da Comissão Intergestores Tripartite (CIT) do Sistema Único de Saúde (SUS) aprovou, sem nenhum tipo de discussão, na manhã desta quinta-feira (14), em Brasília, as mudanças na política de saúde mental propostas através de portaria do Ministério da Saúde.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Saúde Mental, Paulo Amarante, a controversa portaria foi aprovada a “toque de caixa”. “Não foi aberta a palavra. Eu pedi a palavra, o Ronald Ferreira dos Santos, presidente do Conselho Nacional de Saúde, pediu também e o ministro respondeu grosseiramente que não daria a fala a ninguém. A portaria só foi lida. Não tivemos qualquer possibilidade de manifestação”, disse.


Sérios retrocessos - Desde que a portaria que altera a política de atendimento à saúde mental foi colocada em pauta, várias entidades, como o Conselho Federal de Psicologia (CFP), a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e a Procuradoria Federal dos Direitos dos Cidadãos (PFDC) se manifestaram contra.


De acordo com eles, a portaria impõe sérios retrocessos no tratamento de pacientes com transtornos mentais e a usuários de álcool e drogas. Todos temem, sobretudo, o retorno da internação de pessoas com transtornos em hospitais psiquiátricos.


Para o psiquiatra Leon Garcia, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP, esta “é a maior ameaça à política de saúde mental desde 1990 [quando começaram as discussões sobre a reforma psiquiátrica]”. Para ele, além de dar aval a hospitais psiquiátricos, a medida traz o risco de desfinanciamento de outros serviços.


A procuradoria, por sua vez, alegou que “as mudanças afrontam os direitos humanos e a reforma psiquiátrica antimanicomial adotada no país, pois limitam os recursos para unidades que trabalham com a reinserção psicossocial de pessoas, como serviços residenciais terapêuticos, ao passo que aumentam o custeio de hospitais psiquiátricos”.


“Considerando que há o dever legal de diminuir as internações hospitalares e a segregação das pessoas com deficiência, para que elas sejam de regra atendidas em serviços extra-hospitalares, não há razoabilidade no aumento do custeio dos hospitais psiquiátricos, na diminuição do financiamento ao gestor local que fechar leitos para atender no modelo extra-hospitalar, e na manutenção do número de leitos em hospitais psiquiátricos. Não há como não enxergar que esta política apenas incentiva a manutenção de hospitais psiquiátricos, o que viola frontalmente a Lei nº 10.216/2001 e nega às pessoas com transtorno mental o direito de serem tratados em serviços”, diz a nota.


Também em nota, o CFP disse ser contrário à proposta do Ministério da Saúde de mudança na política de saúde mental. O conselho destaca que, na semana passada, foi concluído encontro com dezenas de instituições que marcou os 30 anos de mobilização em defesa do fim dos manicômios. Nele, foi aprovada a Carta de Bauru, que reafirma que “uma sociedade sem manicômios é uma sociedade democrática”.


A Comissão - A Comissão Intergestores Tripartite conta com representantes do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). O presidente do Conasems, Mauro Junqueira, disse à Agência Brasil que “boa parte da proposta é muito interessante, tem avanços”, mas discordou de que as mudanças vão ampliar a internação em hospitais psiquiátricos.


Ministério da Saúde - O Ministério da Saúde foi procurado pela Agência Brasil, mas a assessoria informou que as propostas finais do órgão serão apresentadas na reunião, prevista para as 8h30.


“Retrocesso na saúde mental?” - 
Em artigo publicado nesta quinta-feira (14), na sessão “Tendências e Debates”, da Folha de S.Paulo, com o título “Retrocesso na saúde mental?”, vários profissionais ligados à saúde mental se posicionaram contra a portaria.


De acordo com eles, “nos últimos 30 anos, o Brasil construiu uma política de Estado para portadores de transtornos mentais que ganhou o reconhecimento da Organização Mundial da Saúde”. Neste novo cenário, “o orçamento federal, que antes subvertia a lógica ao priorizar internações, hoje destina 75% de seus recursos para serviços extra-hospitalares, que ajudam homens e mulheres a encontrar saúde mental e felicidade lá onde ela pode estar, no cotidiano da vida em comunidade”.


Para os profissionais, “a proposta ressuscita o financiamento de ambulatórios de saúde mental, sobrepostos aos serviços comunitários existentes. O conjunto das propostas privilegia a internação e duplica serviços. Como os recursos são escassos e decrescentes, o resultado será o sucateamento da rede comunitária de saúde mental”.


"Maior ameaça à política de saúde mental desde 1990”;  “As mudanças afrontam os direitos humanos e a reforma psiquiátrica antimanicomial adotada no país”; 
“O ministro da Saúde não pode desfazer numa canetada uma política de Estado amparada pela legislação federal, pelo controle social do SUS e mundialmente reconhecida por seus resultados”.
Desfiguração da política de saúde mental - Entre os pontos mais críticos da proposta do Ministério da Saúde, o CFP ressalta a desestruturação da política de desinstitucionalização, que se dá pela decisão equivocada de revogar a permanência do valor das autorização de internação hospitalares (AIHs) nos municípios referentes das internações de moradores psiquiátricos após sua saída dos hospitais. Isto retira recursos de uma política já subfinanciada e desestimula municípios a promoverem a retirada de moradores de hospitais. Da mesma forma, as minutas dão brecha para a existência de residências em ambientes hospitalares, o que desconfigura a essência da desinstitucionalização, que é retomar a vida em comunidade.
Outra medida criticada pelo CFP é o financiamento de ambulatórios psiquiátricos, porque muitos municípios irão migrar de modelo, pautado na atenção comunitária, para outro medicalizante, caro e ineficaz. Esta migração será decorrente da impossibilidade de aumento de custos. Este modelo ainda irá minar as ações de saúde mental que vêm se fortalecendo na atenção primária a saúde.
Fonte: Conselho Federal de Psicologia, Revista Fórum, A Folha  
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica 

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Pablo Picasso - Blue Period 1900/ 1904

                                                             Casagemas in His Coffin (1901)
Esta pintura faz parte de uma sequência sobre a morte de Carlos Casagemas, filho do consul americano em Barcelona, pintor e amigo do artista. 
O suicídio de Casagemas, por causa de uma decepção amorosa, gerou profunda devastação no artista, que afirmou ter começado a pintar em azul após refletir sobre a morte do amigo.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

(...)

(...) O pior inimigo, todavia, que poderá encontrar és tu mesmo. 
Nas cavernas e nos bosques te espreitas (...)
Solitário, segues o caminho que te conduz a ti mesmo! 
E por teu caminho desfilam diante de ti tu mesmo e teus sete demônios: és o herege, o feiticeiro e adivinho, doido, incrédulo, ímpio e o malvado.
É preciso que sintas a necessidade de consumir-te em tua própria chama.
Como querias renascer sem primeiro te conduzires às cinzas?

Friedrich Nietzsche, (1844-1900) in Assim Falou Zaratustra
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Ψ Sonhos de Uma Vida - 'O Homem e Seus Símbolos' - Carl Gustav Jung

"A semente de um pinheiro da montanha contém em si a futura árvore em forma latente... mas cada semente a seu tempo num lugar próprio, sob fatores diversos, como a qualidade do solo, da exposição ao sol e ao vento...
A totalidade latente do Pinheiro na semente reage a essas circunstâncias desviando-se das pedras e inclinando-se para o sol, o que acaba moldando o crescimento da árvore. Assim um Pinheiro lentamente toma corpo, constituindo a realização de sua totalidade, sua manifestação no mundo real... na falta da árvore viva a imagem do pinheiro é apenas uma possibilidade, uma idéia abstrata... A realização dessa singularidade no indivíduo é o objetivo do processo de Individuação."
 (Jung - O Homem e Seus Símbolos)

*Existem milhares de árvores na floresta e todas não passam de árvores,  mas se olharmos bem de perto e com a devida atenção, cada uma tem as suas particularidades... não existem duas árvores idênticas,  a natureza realiza seus padrões através de seres únicos e individuais. Por isso o pensamento estatístico é tão pernicioso, tão nocivo. 

*A realidade consiste de um imenso número de seres únicos e os sonhos nos ajudam a descobrir padrões únicos da nossa vida. 

*Os sonhos apontam para cada ser o sentido único de sua vida também única... sendo este talvez o aspecto mais importante e fascinante da vida onírica.

*São os sonhos que indicam onde se encontra nossa energia e para onde ela quer ir. *Assim todo sonho traz uma mensagem útil que propicia um 'insight' sobre o sentido específico de uma situação também específica da nossa vida.

*Segundo Marie Louise Von Franz, noite após noite essas mensagens se repetem, chegando a mais de cem mil no decorrer de uma vida. Se estudarmos nossos sonhos por um determinado tempo, observaremos conexões significativas entre eles.                                                              
                                              Imagem: D. KILPATRICK III                                                              
*Uma situação ameaçadora aparece repetidamente nos sonhos, até que prestamos atenção, então o próprio sonho acaba nos trazendo a solução. 

*É como se a natureza lentamente 'chocasse' os problemas, acalantando e desenvolvendo-se devagar... esse desenvolvimento lento pode ser observado na interpretação de sonhos.

*Através da  Psicoterapia ocorre uma concentração consciente no processo natural de maturação com vistas a apressá-los... é  como por mais fogo, para que o processo ande mais depressa.

*Existem diferenças entre os sonhos dos jovens e idosos. *No meio da vida ocorre um estágio transitório, os sonhos jovens são mais adaptativos em direção à uma adaptação externa, ambição pessoal, ou realização amorosa.

 *Por volta dos 40 anos os sonhos visam uma adaptação à vida interior, descoberta do sentido da vida. 

*Von Franz refere ainda, que na sociedade moderna, os jovens também parecem preocupados com esta dimensão interna, resultado da massificação da nossa civilização...

*No aspecto profissional observa-se uma disputa perversa, onde o homem moderno no intuito de não ser descartado como mais uma mercadoria, acaba por tornar-se um megalomaníaco que quer estar por cima para conquistar sempre um melhor status ou se sente completamente esmagado e inútil resultando em depressão ou doenças psicossomáticas. 

Fonte: Marie Louise Von Franz 
Carl Gustav Jung 'O Homem e Seus Simbolos' 
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica 

sábado, 18 de novembro de 2017

AC/DC - Malcolm... eu tenho coração e flores prá você

                                 Malcolm Mitchell Young - 1954/ 2017  †  
                               (...) Quando você sorri eu vejo estrelas no céu
                                Quando você sorri eu vejo o nascer do sol
                                E eu sei que você tem pensado em mim...

                              (...) Eu posso dizer pelas coisas que você diz
                                Eu posso dizer que você sabe o caminho
                                E eu sei o que você quer que eu faça
                                Eu tenho corações e flores para você

sábado, 28 de outubro de 2017

Ψ "Deve haver sempre vinho e companheirismo ou estamos realmente perdidos." Ann Fairbairn

"O vinho é uma das mais complexas de todas as bebidas:
fruto de um solo e clima particulares, digerido por um fungo através de um processo guiado pela cultura, produzido pelo amor e habilidade de um homem ou mulher.

(...) Até agora, o material tornou-se incrivelmente complexo, quase etéreo. 
Sem querer blasfemar, tornou-se algo como o cheiro e o gosto de Deus.

 *Você bebe sozinho? Não deveria...
Quanto melhor um vinho, mais você deve compartilhá-lo com os outros ...  e essa é a outra coisa incrível sobre o vinho, reúne pessoas que compartilham entre si o mundo à sua volta."                        
                                             José Mongrell Torrent - 1870/ 1937
 Mitologia: A Divindade do Vinho é conhecido em Roma como Baco e na Grécia como Dionísio 
                                                                  Peter Paul Rubens - 1577/ 1640
"O Deus Baco deu à humanidade o vinho e suas bençãos. Concedeu o êxtase da embriaguez e a redenção espiritual a todos que decidiam renunciar ao poder material."

(...) generoso com quem lhe rendia culto, mas podia proporcionar loucura e ruína para os que menosprezavam os festins devassos a ele ofertados.

Fonte: Neel Burton, o guia conciso de degustação de vinho
https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Dioniso
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica 

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

(...)

"Talvez a maior faculdade que nossa mente possua é a capacidade de lidar com a dor. 
O pensamento clássico nos ensina as quatro portas da mente, que todos se movem de acordo com suas necessidades. 

                                                                                  Carrie Vielle
A primeira é a porta do sono: O sono nos oferece um retiro do mundo e toda a sua dor. Dormindo passamos o tempo nos distanciando daquilo que nos prejudicou. Quando uma pessoa está ferida, muitas vezes fica inconsciente. Da mesma forma, alguém que ouve notícias traumáticas muitas vezes desmaia. Esta é a maneira que a mente encontra para se proteger da dor, atravessando a primeira porta.
A segunda é a porta do esquecimento: Algumas feridas são muito profundas para curar, ou muito profundas para curar rapidamente. Além disso, muitas memórias são simplesmente dolorosas, e não há cura possível. O ditado de que o "tempo cura todas as feridas" é falso.... O tempo cura algumas feridas... O resto está escondido atrás dessa porta. 
                                                                                                   Joseph Minton
A terceira é a porta da loucura: Há momentos em que a mente é tratada com um golpe tão certeiro, que se esconde na insanidade. Embora isso pareça não ser benéfico, mas é. Há momentos em que a realidade não passa de dor, e para escapar dessa dor, a mente deve deixar a realidade para trás.
                                                                                                Suzanne Roach
A última é a porta da morte: O resort final... Nada pode nos machucar depois que estamos mortos, foi o que me disseram." 
Fonte: Patrick Rothfuss - O Nome do Vento 
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica 

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

... tem gente que empresta o coração prá gente morar

Tem gente que Deus coloca na nossa vida só pra nos dar paz. 
Que nos empurra para o melhor de nós, que nos guia para o caminho do bem.
Gente que é sorriso em dia feio, que é suporte quando parece faltar chão. 
Tem gente que pensa e repensa jeitos de nos fazer bem, que se preocupa e demonstra.
Gente que é abraço, mesmo de longe, e a certeza que tudo vai dar certo. 
Que empresta coração pra gente morar, que planta pensamentos bonitos nos dias da gente…
Não é necessário melhorar a aparência, adquirir muita cultura, aumentar o salto do sapato, levantar mais o nariz. 
Precisamos diminuir o barulho, caminhar mais devagar.
Se apegue apenas ao que é essencial à alma – aquilo que a alimenta e faz sorrir – paz, amor, gratidão, humanidade, compreensão, caridade, generosidade e todos os demais sentimentos de amor e bondade que podemos ter e transmitir... (L. R)

terça-feira, 17 de outubro de 2017

🐾 Quatro Vidas de um Cachorro

Lançamento: 26 de janeiro de 2017
Direção: Lasse Hallström Elenco: Britt Robertson, K.J. Apa, John Ortiz ... 
(Baseado no best-seller de W. Bruce Cameron, A Dog's Purpose (título original), estrelado por um cão inquieto sobre o seu existir.)
*Um cachorro morre e reencarna várias vezes na Terra. Embora encontre novas pessoas e viva muitas aventuras, ele mantém sempre o sonho de reencontrar o seu primeiro dono: Ethan, seu maior amigo e a primeira pessoa a amá-lo.
Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Ψ Deixe seu filho ser...

"O caminho para uma sociedade melhor começa no berçário". (Winnicott)
Imagem: Hanks Steve
*Donald Winnicott (1896-1971) propôs que a alegria e a futura satisfação da raça humana dependem de algo muito mais próximo de casa do que se imagina.

*Todas as doenças da humanidade tais como, o fascismo, delinquência, raiva, misoginia, alcoolismo são apenas os sintomas de infâncias pobres e infelizes que o coletivo vai ter que pagar.

*Nós ainda não conseguimos suprimir nossas próprias necessidades ou sufocar nossas próprias demandas quando estamos com uma criança.

*Ainda estamos aprendendo a amar nossos filhos, refere Winnicott, é por isso que o mundo ainda está cheio de feridos, pessoas de "sucesso" externo e respeitabilidade que não são muito "reais" interiormente e infligem suas feridas nos outros.

*Temos um caminho a seguir para que possamos ser "bons o suficiente".

*Winnicott alertou especialmente às  pessoas que estão sempre forçando as crianças para darem uma 'risadinha'.

*Exigir risos ou outras expressões forçadas de uma pessoa pequena, misteriosa, bela e frágil não é saudável ... isso serve apenas para evitar a própria tristeza e frustração do adulto.

*Nos primeiros anos deixe a criança expressar livremente muitos sentimentos tanto 'bons' como 'ruins' sem consequências, e sem medo de retribuição. 

*Certifique-se de que seu filho não é muito compatível: Os pais ficam encantados quando as crianças seguem suas regras. Essas crianças são chamadas de "boas".

*Winnicott teve muita preocupação com as 'crianças boas'.

*Existem pais que não podem tolerar comportamento 'ruim'.

*Isso na concepção de Winicott resultaria no surgimento de um "Eu Falso". 
*Uma pessoa que seria 'boa' exteriormente, mas que estaria suprimindo seus instintos vitais.

*Somente através de uma educação adequada e atenta, uma criança poderia gerar um "Eu Verdadeiro", capaz de equilibrar adequadamente o seu social com seus lados destrutivos... a crise de birra/ raiva, (que deixa o adulto desesperado), deve ser encarada com naturalidade... mais tarde a criança será capaz também de expressar a generosidade ou amor real.

*No esquema de Winnicott, os adultos que não podem ser criativos, que de alguma forma estão um pouco mortos por dentro, são quase sempre filhos de pais que não conseguiram tolerar o desafio, os pais que fizeram a sua prole "boa" antes do tempo deles, matando assim sua capacidade de ser genuinamente bom, generoso e gentil no seu próprio ritmo.

Fonte: Donald Winnicott -  Os Grandes Psicanalistas - The School of Life - Teaching Emocional Intelligence - London, Amsterdã, Paris.

Ψ Fatima Vieira - Psicóloga Clínica